Troque o disco, governador

Artigo
Gleisi Hoffmann

Durante boa parte de seu mandato, para justificar as mazelas de seu governo, como a falta de gasolina em carros da polícia e a falta de pagamento a fornecedores, o governador do Paraná falou incansavelmente que os problemas eram culpa do governo federal, que discriminava o estado. Na campanha, a cantilena foi reforçada.

O Paraná é um dos estados que recebe os maiores investimentos para rodovias junto ao Ministério dos Transportes, por exemplo. Também foi o que mais recebeu, proporcionalmente, moradias do Minha Casa, Minha Vida. Foi contemplado ainda com ônibus escolares, creches, escolas, maquinários e todos os empréstimos foram liberados. Se houve demora, cabe exclusivamente à incompetência administrativa do governo estadual, que não conseguiu se adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal, gastando mais do que arrecadava.

Agora, o governador volta ao disco arranhado: é por causa da crise nacional, do governos federal, que o Paraná precisa fazer ajustes. E mais, culpando o PT pelas manifestações, atribuindo-nos uma enorme capacidade de mobilização.

O PT apoia as manifestações, mas imputar a ele a realização das mesmas é desrespeitar a imensa maioria do funcionalismo público, que nem partido tem, e é esclarecido o suficiente para não se deixar manipular.

Como o Governador explica que o ICMS paranaense subiu 44% nos últimos anos, disparado o maior aumento de arrecadação entre todos os estados brasileiros? O problema é que a despesa, sem investimentos, aumentou 53% no mesmo período. Pelo que me consta não foi o governo federal que administrou o Paraná. Além disso, os empréstimos eram destinados a investimentos e repasse aos municípios e não a despesas de custeio.

Nem de longe as medidas do governo federal para retomar o crescimento da economia se assemelham ao que o governo quer fazer com os servidores no Paraná. As medidas foram apresentadas com tempo para discussão e debate na sociedade. Chegaram ao Congresso Nacional e foram ssubmetidas a ampla discussão, já contando com proposição de centenas de emendas pelos parlamentares.

Assuma a responsabilidade e governe o Paraná defendendo o que pensa e o que fez até então, mas sobretudo respeite os que divergem da sua opinião. Coragem e respeito são atributos fundamentais para quem pretende governar.

Gleisi Hoffmann, senadora da República (PT-PR)

Um comentário em “Troque o disco, governador

  • 16/02/2015, 10:28 em 10:28
    Permalink

    Programa MCMV no pr. Foi uma engenharia inteligente montada pelo PT.
    Quando o BETo assumiu a cohapar tinha um ativo de 40.000 imoveis adquiridos pelos municipios, alem de uma carteira imobiliaria de 150.0000 contratos.
    Botou dinheiro do povo, ate 5000 por unidade, infra estrutura asfalto, agua, luz e todo o projeto dos conjuntos habitacionais.
    CEF entrou so com $$$$ da construcao, representa talvez a metade do custo e ficou com hipoteca-garantia de tudo……inclusive com os novos mutuarios dessas casas.
    Cohapar hj nao tem nada, nem imoveis, nem carteira imobiliaria antiga porque transferiu tudo para a caixa. Pode encerrar atividades hoje e assumir os passivos de pessoal.
    Curioso constatar que a maioria dos dirigentes das companhias de habitacao no pais, e’ profissional oriundo emprestado pela caixa.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: