Álvaro Dias pagou a gasolina

Ontem em Londrina, depois de participar de uma solenidade em Ibiporã, o senador Álvaro Fernandes Dias, calçou as sandálias da humildade. Ao sair do hotel Bourbon, onde estava hospedado, peguntou se havia alguém para levá-lo ao aeroporto.

Olhou para um lado, para outro… Ninguém.

Até que Alvimar dos Santos, o quase centenário jornalista londrinense, conhecido como Pai Jacó, prontificou-se.

Os dois entraram no poderoso Fiat UNO, e foram para o aeroporto.

Álvaro insistiu, e pagou a gasolina.

 

Processo de Vargas vai a Moro em 2015

Algoz Parlamentares citados em escutas e delações da Lava Jato que não se elegeram em outubro terão seus processos remetidos ao juiz federal Sérgio Moro, no Paraná, e não ao Supremo.

Sem foro É o caso do petista Candido Vaccarezza (SP) e do ex-petista André Vargas (PR). Durante a campanha eleitoral, o PT atacou Moro pela divulgação de depoimentos que ligavam o partido ao escândalo de corrupção.

da coluna Painel, na Folha

Quebra quebra em Câmara de Vereadores do Paraná

Do UOL

Dois vereadores do município de Itaperuçu, na região metropolitana de Curitiba (PR), viraram mesas e arremessaram cadeiras integrantes da Mesa Diretora durante a sessão do Legislativo realizada na noite de quinta-feira (27).

A fúria dos vereadores Pio Moraes e Derso Pontes –ambos do PP– foi provocada pela nulidade da eleição que definiu a nova Mesa Diretoria para o biênio 2015/2016. Realizada em março deste ano, a eleição foi anulada porque um dos vereadores que votou foi preso pela PF (Polícia Federal) e afastado do cargo em outubro, acusado de falsificar uma edição do “Diário Oficial do Município” para ocupar uma cadeira na Câmara.

Moraes havia sido eleito presidente para o novo mandato e Pontes iria ocupar a primeira secretaria. Durante a leitura da decisão de invalidação da eleição, Moraes se descontrolou, deu um tapa na mesa que ocupava, ao lado de outros vereadores, se levantou e virou a mesa. Do outro lado da sala, Pontes também se levantou e virou a mesa. Moraes jogou um copo de água sobre a mesa e Pontes arremessou duas cadeiras em direção ao diretor da Câmara, Pedro Aparício, que fazia a leitura da decisão.

Leia Mais.

Liminar do ministro Celso de Mello impede censura a blog de jornalista

Do STF

“O exercício da jurisdição cautelar por magistrados e Tribunais não pode converter-se em prática judicial inibitória, muito menos censória, da liberdade constitucional de expressão e de comunicação”. A afirmação é do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF) que, ao conceder liminar em Reclamação (Rcl 18836) ao jornalista e blogueiro Cleuber Carlos do Nascimento, suspendeu uma decisão do juiz do 2º Juizado Especial Cível da Comarca de Goiânia.

O juiz havia concedido antecipação de tutela ao ex-vice-presidente do Goiás Esporte Clube, Edmo Mendonça Pinheiro, determinando o prazo de dois dias para o jornalista excluir de seu perfil “em qualquer rede social”, os comentários negativos feitos contra o ex-dirigente do clube, sob pena de incidência de multa diária de R$ 200.

O jornalista ajuizou a reclamação no STF, alegando que o juiz teria despeitado decisão da Suprema Corte, com efeito vinculante, tomada no Julgamento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 130, que considerou não recepcionados pela Constituição Federal de 1988 diversos dispositivos da Lei 5.250/1967 (Lei de Imprensa). (mais…)

É hoje: Tubarão convoca torcedores para reformar o VGD

O Estádio Vitorino Gonçalves Dias, popular VGD, passa por reformas e está realizando um mutirão para dar cara nova ao local. Hoje, às 9h, os próprios torcedores poderão ajudar na ação. O Tubarão convoca a torcida para fazer pinturas das grades de proteção, passar impermeabilizante na arquibancada e áreas de infiltração. Desde 2009, o local está interditado devido a problema de infiltração na marquise na cobertura.Se chover a ação será transferida para outra data.

Deputado Nelson Meurer é citado em planilha de doleiro da Lava a Jato

Deputado Nelson Meurer (PP) é citado em planilha de doleiro – Agência Câmara

SÃO PAULO – O nome do deputado federal Nelson Meurer (PP-PR) apareceu pela segunda vez na Operação Lava-Jato. A planilha com a contabilidade paralela do Posto da Torre, em Brasília, do doleiro Carlos Habib Chater, mostra pagamento de R$ 42 mil para “Nelson Meurer”. Na mesma página, há três remessas endereçadas só a “Nelson”, no total de R$ 103 mil.

A Lava-Jato começou com investigações das atividades do posto de combustíveis. No local, também funcionam uma casa de câmbio, uma lavanderia e um lava-jato de veículos, o que deu o nome à operação.

O doleiro Alberto Youssef afirmou que fazia remessas para Chater que, por sua vez, se encarregava de distribuir os valores para políticos em Brasília. Na contabilidade de Chater, ainda há diversas operações feitas com o codinome “amiguinha”, identificadas pela Polícia Federal como sendo entregas de dinheiro feitas a pedido da doleira Nelma Mitsue Panasso Kodama — um dos quatro doleiros presos. (leia mais)

Tarifas de pedágio sobem

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) do Paraná  vai divulgar hoje, novos valores que serão cobrados, a partir de segunda-feira, nas praças de pedágio do Anel de Integração do Estado. O acréscimo médio deve ser de 6,5%. O aumento é pedido pela Associação Brasileira de Concessionárias de  Rodovias, com análise do DER e da Agência Reguladora de Serviços Públicos  Delegados de Infraestrutura (Agepar) do Paraná.

Lembra da contadora do Yousseff, da Lava a Jato? Conheça tudo o que ela falou ao Ministério Público

Richa corta tudo que tem direito e distribui “maldades”

De acordo com o líder do PMDB na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), Nereu Moura, o governador reeleito, Beto Richa (PSDB) está distribuindo um verdadeiro “pacotes de maldades”. Moura disse isso após saber que o governo estadual pretende parcelar o depósito do terço de férias de 25 mil servidores. E disse mais, que  os funcionários estão contando com este ‘dinheirinho’ para a ceia de natal, pagar as contas e visitar os parentes.

Preço de combustível é investigado em Londrina

A Promotoria de Defesa do Consumidor investiga denúncias de abuso na alta dos combustíveis que aparece três vezes maior que o valor passado pelo comércio varejista. O reajuste anunciado  é de 3% para a gasolina e 5% para o óleo diesel nas distribuidoras. Mas motoristas já detectaram alta no álcool etanol nas bombas. O Ministério Público pode encaminhar  a denúncia ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A Câmara Municipal, o senador da República e a coisa pública

CAM01766[1]

Do blog Baixo Clero/Fabio Silveira

Wilson de Matos Silva (PSDB) é suplente do senador Álvaro Dias (PSDB) e reitor da Unicesumar, universidade com sede em Maringá . Ele está no exercício do mandato até o começo de dezembro. Matos está na sessão da Câmara de Londrina em duas condições. No começo da sessão teve um tempo de fala para prestar contas da sua passagem de quatro meses na Casa mais alta do parlamento brasileiro. Depois ele participou de uma cerimônia de entrega do selo “Arma não é brinquedo”. Foram dois momentos em que ele participou da Mesa da Câmara na condição de senador da República.

Nesse momento Matos voltou à Mesa da Câmara, dessa vez como reitor da Unicesumar. Aliás, é como reitor da universidade privada de Maringá que pretende se instalar em Londrina que Matos veio ao Legislativo. Ele veio à Câmara defender mais um daqueles projetos de lei fazendo mudanças pontuais no zoneamento e que são tão comuns em Londrina, enquanto a lei de Uso e Ocupação do Solo não é aprovada pelo Legislativo londrinense.

Questionado se a sua presença, no exercício do mandato de senador, numa Câmara Municipal, não poderia ser entendida como uma forma de influenciar a votação, Matos afirmou que é professor há 42 anos, reitor da Unicesumar há 25 anos e esteve senador em dois períodos de quatro meses cada, graças a licenças tiradas pelo titular da cadeira, Álvaro Dias.

O autor do projeto de lei fazendo a mudança pontual do zoneamento do terreno comprado pela Unicesumar em 9 de setembro do ano passado, próxima à Vila Santa Terezinha é o vereador Rony Alves (PTB), que como presidente da Câmara abriu os microfones a Matos nas duas condições: como senador da República e como empresário da educação.

Nesse episódio sobra a dúvida sobre o motivo da visita de Matos a Londrina: veio o senador prestar contas na segunda maior cidade do Estado ou o empresário interessado em investir na segunda maior cidade do Estado?