Janot quer que STF processe Rossoni por proteger Beto Richa

Da Gazeta doPovo

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que abra inquérito contra o secretário de Estado da Casa Civil, Valdir Rossoni (PSDB). Segundo ele, o tucano cometeu o crime de prevaricação ao deixar engavetado por três anos na Assembleia Legislativa do Paraná, quando era presidente da Casa, um pedido de autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para julgar o governador Beto Richa (PSDB). Janot afirma que Rossoni satisfez “interesse pessoal” na tentativa de barrar ação penal contra um correligionário. (leia mais)

Greca faz balanço de 100 dias

Nesta segunda-feira (10), informa o Bem Paraná, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, faz um balanço dos primeiros cem dias de administração e apresentará o Plano de Recuperação de Curitiba.
O encontro será às 10h30, no Salão Nobre da Prefeitura, no Centro Cívico.
Pauta: prefeito faz balanço dos cem dias de administração
Local: Salão Nobre da Prefeitura de Curitiba (Avenida Cândido de Abreu, 817, 1º andar, Centro Cívico)

André Vargas é condenado mais uma vez. Agora a 4 anos de xilindró

Do José Pedriali

O juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em primeira instância, condenou o ex-deputado federal André Vargas (ex-PT-PR) a quatro anos e meio de prisão pelo crime de lavagem de dinheiro. O ex-parlamentar, inicialmente, cumprirá a pena em regime fechado. (mais…)

Pensa num ex-prefeito que amanheceu com o ego inflado…

E ex-prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff (ainda no PSD), acordou hoje precisando conter o ego. Saiu uma nota na concorrida coluna de Reinaldo Bessa, na Gazeta do Povo, nominando-o como o “Doria do Paraná”. Imagina pra onde foi o ego do moço.

Kireeff é um dos convidados da organização Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (RAPS) para palestrar a prefeitos de todo o Brasil no evento “O desafio da arrecadação municipal: iniciativas, acertos e aprendizados”, que acontecerá neste sábado, em São Paulo.  (mais…)

Auditor delator tem prisão preventiva revogada e vai pra casa com tornozeleira eletrônica

O juiz Juliano Nanuncio revogou a prisão preventiva do auditor delator Luiz Antonio de Souza. Ontem ele prestou depoimento e confimou tudo o que já tinha dito, dando detalhes das mutretas de corrupção, citando envolvidos, falando sobre locais de entrega de grana, etc.

Com a revogação ele vai pra casa, possivelmente ainda hoje, usando a famosa tornozeleira eletrônica, e continuará respondendo à justiça no conforto do seu lar comprado com o dinheiro suado do seu esforço laboral.

Veja abaixo:

Fachin homologa delação de marqueteiros de Lula e Dilma. Cheiro de confusão no ar

de O Globo

O ministro Edson Fachin, relator dos processos da Operação Lava-Jato, homologou nesta terça-feira o acordo de delação premiada do publicitário João Santana, e de outras duas pessoas: a mulher dele, Mônica Moura, e André Santana, que trabalhava com o casal. Santana foi o marqueteiro das três últimas eleições presidenciais do PT: 2006, quando Lula venceu; e 2010 e 2014, quando Dilma Rousseff ganhou a disputa. A delação segue sob sigilo. (mais…)

E ainda querem que se acredite nos políticos e na política

Dois casos emblemáticos na semana. Um envolvendo o senador Roberto Requião de Mello e Silva (PMDB) e o outro a senadora Gleisi Hoffmann (PT).

Sobre o primeiro personagem. Vamos lá.

O presidente da Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) do Senado, Edison Lobão (PMDB-MA), designou ontem, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) como relator do projeto de lei apresentado por Randolfe Rodrigues (Rede-AP) com base no texto alternativo elaborado pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, sobre abuso de autoridade. Dessa forma, o paranaense passa a ser relator de dois projetos sobre o mesmo tema no Senado. O outro é de autoria do senador Renan Calheiros (PMDB-AL). (mais…)

Cerveja nos estádios: Projeto é aprovado na Comissão de Defesa do Consumidor

Deputados Turini e Requião Filho

A Comissão de Defesa do Consumidor deu parecer favorável ao Projeto de Lei 50/2017, que autoriza venda e consumo de cerveja nos estádios de futebol do Paraná. O relator do projeto e presidente da Comissão, deputado estadual Requião Filho (PMDB), reconheceu a polêmica que envolve o tema, mas aprovou a ideia com ressalvas e garantiu que irá apresentar emendas em plenário, para responsabilizar os clubes na fiscalização e no combate à violência. (mais…)

Chico Brasileiro é eleito prefeito de Foz com 56% dos votos

As eleições suplementares em Foz do Iguaçu aconteceram ontem. O candidato Chico Brasileiro (PSD), venceu as eleições com 69.469 votos (56,35%) dos votos válidos. Ele havia disputado as eleições o ano passado e ficou em primeiro lugar depois que omais votado na época, Paulo Mac Donald Ghisi (PDT), que teve a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral por improbidade administrativa. Ele já foi vereador em dois mandatos (2000-2004).

Justiça bloqueia bens do ex-prefeito de Londrina, Nedson Micheleti

Do G1

A Justiça determinou o bloqueio de bens do ex-prefeito de Londrina, Nedson Micheleti e outros integrantes da administração municipal na gestão 2005-2008. O pedido foi feito pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) que propôs uma ação civil pública após encontrar irregularidades em uma licitação para compra de veículos.

(mais…)

STJ autoriza que Beto Richa seja investigado

do G1

A ministra do Superior Tribunal de Justiça Nancy Andrighi autorizou ontem a abertura de inquérito para investigar se o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), tem envolvimento com supostas fraudes envolvendo o Porto de Paranaguá.

O pedido de abertura de inquérito foi feito pelo vice-procurador-geral da República, José Bonifácio Andrada. A apuração, que está em segredo de justiça, cita suspeitas de corrupção “na concessão de licença ambiental pelo Instituto Ambiental do Paraná”.

Moro condena Eduardo cunha a 15 anos de xilindró

Da Folha de São Paulo

O juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, condenou o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão fraudulenta de divisas. Somadas, as penas chegam a 15 anos e quatro meses de prisão. (mais…)