Auditor delator tem prisão preventiva revogada e vai pra casa com tornozeleira eletrônica

O juiz Juliano Nanuncio revogou a prisão preventiva do auditor delator Luiz Antonio de Souza. Ontem ele prestou depoimento e confimou tudo o que já tinha dito, dando detalhes das mutretas de corrupção, citando envolvidos, falando sobre locais de entrega de grana, etc.

Com a revogação ele vai pra casa, possivelmente ainda hoje, usando a famosa tornozeleira eletrônica, e continuará respondendo à justiça no conforto do seu lar comprado com o dinheiro suado do seu esforço laboral.

Veja abaixo:

Fachin homologa delação de marqueteiros de Lula e Dilma. Cheiro de confusão no ar

de O Globo

O ministro Edson Fachin, relator dos processos da Operação Lava-Jato, homologou nesta terça-feira o acordo de delação premiada do publicitário João Santana, e de outras duas pessoas: a mulher dele, Mônica Moura, e André Santana, que trabalhava com o casal. Santana foi o marqueteiro das três últimas eleições presidenciais do PT: 2006, quando Lula venceu; e 2010 e 2014, quando Dilma Rousseff ganhou a disputa. A delação segue sob sigilo. (mais…)

E ainda querem que se acredite nos políticos e na política

Dois casos emblemáticos na semana. Um envolvendo o senador Roberto Requião de Mello e Silva (PMDB) e o outro a senadora Gleisi Hoffmann (PT).

Sobre o primeiro personagem. Vamos lá.

O presidente da Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) do Senado, Edison Lobão (PMDB-MA), designou ontem, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) como relator do projeto de lei apresentado por Randolfe Rodrigues (Rede-AP) com base no texto alternativo elaborado pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, sobre abuso de autoridade. Dessa forma, o paranaense passa a ser relator de dois projetos sobre o mesmo tema no Senado. O outro é de autoria do senador Renan Calheiros (PMDB-AL). (mais…)

Cerveja nos estádios: Projeto é aprovado na Comissão de Defesa do Consumidor

Deputados Turini e Requião Filho

A Comissão de Defesa do Consumidor deu parecer favorável ao Projeto de Lei 50/2017, que autoriza venda e consumo de cerveja nos estádios de futebol do Paraná. O relator do projeto e presidente da Comissão, deputado estadual Requião Filho (PMDB), reconheceu a polêmica que envolve o tema, mas aprovou a ideia com ressalvas e garantiu que irá apresentar emendas em plenário, para responsabilizar os clubes na fiscalização e no combate à violência. (mais…)

Chico Brasileiro é eleito prefeito de Foz com 56% dos votos

As eleições suplementares em Foz do Iguaçu aconteceram ontem. O candidato Chico Brasileiro (PSD), venceu as eleições com 69.469 votos (56,35%) dos votos válidos. Ele havia disputado as eleições o ano passado e ficou em primeiro lugar depois que omais votado na época, Paulo Mac Donald Ghisi (PDT), que teve a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral por improbidade administrativa. Ele já foi vereador em dois mandatos (2000-2004).

Justiça bloqueia bens do ex-prefeito de Londrina, Nedson Micheleti

Do G1

A Justiça determinou o bloqueio de bens do ex-prefeito de Londrina, Nedson Micheleti e outros integrantes da administração municipal na gestão 2005-2008. O pedido foi feito pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) que propôs uma ação civil pública após encontrar irregularidades em uma licitação para compra de veículos.

(mais…)

STJ autoriza que Beto Richa seja investigado

do G1

A ministra do Superior Tribunal de Justiça Nancy Andrighi autorizou ontem a abertura de inquérito para investigar se o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), tem envolvimento com supostas fraudes envolvendo o Porto de Paranaguá.

O pedido de abertura de inquérito foi feito pelo vice-procurador-geral da República, José Bonifácio Andrada. A apuração, que está em segredo de justiça, cita suspeitas de corrupção “na concessão de licença ambiental pelo Instituto Ambiental do Paraná”.

Moro condena Eduardo cunha a 15 anos de xilindró

Da Folha de São Paulo

O juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, condenou o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão fraudulenta de divisas. Somadas, as penas chegam a 15 anos e quatro meses de prisão. (mais…)

O Camaleão Osmar Dias

Paulista de Quatá e criado em Maringá, Osmar Dias transformou-se num camaleão da política no Paraná.

Com passagens pelo PMDB, PSDB, PDT, Dias vai dançando conforme toca a banda.

Ruralista de quatro costados, abraçou a causa petista/lulista até recentemente. Parça de Dilma, esteve na vice-presidência do Banco do Brasil até o último suspiro.

Agora, em campanha pelo governo do Paraná, faz de conta que nunca esteve com os companheiros e tenta se distanciar da rejeição que o PT vem sofrendo no Estado.

Assim é a política.

480 vereadores do Norte do Paraná aprendem em Londrina a fiscalizar os prefeitos

 

480 vereadores de 110 municípios da região Norte do Paraná estão em Londrina participando de um treinamento para desenvolver técnicas de fiscalização da gestão do dinheiro público nas prefeituras.

O evento, que está sendo realizado em parceria entre a Associação dos Municípios do Médio Paranapanema e Tribunal de Contas do Paraná. (mais…)

Audiência Pública discute, neste momento, a liberação da cerveja nos estádios

Está acontecendo neste momento, na Assembleia Legislativa do Paraná, a audiência pública que discute o projeto para a liberação de bebida alcoolica nos estádios de futebol do Estado.

Estão participando deputados, dirigentes de clubes – Elizeu Elias está representando o Londrina – promotoria pública, Federação das Indústrias do Estado do Paraná, Polícia Civil e Militar.

O projeto foi assinado por 11 deputados, entre eles o líder do governador Beto Richa, Luiz Cláudio Romanelli. O texto já foi aprovado pelas comissões de Esportes; Constituição e Justiça; Indústria Comércio, Emprego e Renda. Só falta ser aprovado pela Comissão de Defesa do Consumidor, antes de ir ao plenário.

Chegou a hora de Ricardo Barros?

Da Isto É

Depois de Geddel Vieira Lima, Ricardo Barros pode ser o segundo ministro do governo Temer a receber punição da Comissão de Ética da Presidência da República. As promessas de uso de verba da União para construir unidades de saúde, feitas em comícios nas últimas eleições no Paraná, colocaram o ministro na mira do colegiado. O caso será julgado nessa segunda-feira 27. O grau da pena vai da sanção pública à recomendação ao presidente para demitir Sua Excia.