A Fake News sobre o Restaurante Casarão de Londrina

Os estragos que fazem as fakenews.

Desde ontem está circulando em muitas redes sociais e grupos de whatsapp que um dos sócios do Restaurante Casarão de Londrina teria tirado a própria vida devido a crise econômica. Hoje os sócios receberam trocentas ligações de pessoas preocupadas e querendo saber o que houve.

NOTA DE ESCLARECIMENTO DO RESTAURANTE CASARÃO DE LONDRINA

Desde ontem está circulando em diversas redes sociais informações falsas de que um dos sócios do Restaurante Casarão de Londrina teria tirado a própria vida em decorrência da crise econômica provocada pela pandemia da Covid-19.

Não é verdade. Não houve qualquer incidente relacionado aos sócios do Casarão de Londrina.

O Casarão continua atendendo normalmente os seus clientes respeitando todas as regras sanitárias de combate ao coronavírus.

A Direção

Ricardo Barros diz que ex-procurador se confundiu

E o deputado Federal Ricardo Barros (PP) líder do presidente Bolsonaro na Câmara Federal disse que é infundada a denúncia do ex-Procurador da República, Eugênio Aragão, de que ele teria tentado beneficiar um laboratório de Curitiba, do qual seria sócio, na compra de doses da vacina Sputnik V.

Segundo Barros, Aragão teria se confundido. Disse ainda que o laboratório em questão seria o TECPAR, que é do Paraná e não dele.

Onde estão os leitos covid-19 de Londrina?

O combativo portal O Londrinense, sempre atento às mazelas desta terra vermelha, publicou matéria ontem questionando onde foram parar ou onde estão escondidos os leitos de UTI covid-19 em Londrina.

A pergunta tem o maior sentido. No início da pandemia o prefeito Marcelo Belinati dizia que estava superpreparada para enfrentar o covid, com leitos para todo lado, que representavam mais do que os disponíveis em muitos países, etc, etc. Aquela conversa fluída que todos os eleitores menos atentos e mais propensos a aceitar sem questionar já estão acostumados.

Mas onde estão esses leitos?

Por Mirella Fontana
O LONDRINENSE

Contra fatos não há argumentos, já dizia o velho ditado. E não é que uma breve busca no Facebook da Secretaria de Saúde nos trouxe uma das possíveis causas para a superlotação nos hospitais? Caso tenha dúvidas, basta conferir os dados em https://www.facebook.com/saudelondrinaoficial. (mais…)

Enquanto Londrina não se explica, cidades da região aumentam restrições

Pelo menos por enquanto Londrina ainda vai seguir apenas as medidas propostas pelo governo do Paraná, que diga-se, não parecem estar surtindo muito efeito.

E quem duvida é só andar pelas ruas das cidades do Paraná. Pouquissimas pessoas estão realmente respeitando o “fique em casa”. (mais…)

O problema da vacina na em Sertanópolis

Suspensão da vacinação contra a covid-19 em Sertanópolis deixou muitas pessoas irritadas. Segundo a secretaria de Saúde da cidade houve oscilação de temperatura na câmara refrigerada onde estavam acondicionadas as vacinas contra o coronavirus. A prefeita Ana Ruth diz que houve queda de energia que queimou a geladeira.

O município está comunicando a Secretaria de Saúde do Estado para obter orientações de como proceder.

Por enquanto a vacinação está suspensa na cidade.

Barros e a cama King Size

do Zé Beto

O Gaiato da Boca Maldita acha que o deputado federal Ricardo Barros deu a entrevista sobre a ‘situação confortável’ do país deitado numa cama king size e com eunucos abanando a sabedoria dele.

Para Ricardo Barros, mesmo com quase 3 mil mortes por dia, a situação do País é até confortável

do G1

O líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), ao comentar em entrevista à GloboNews nesta quarta-feira (17) o número de mortes por milhão de habitantes no Brasil por Covid-19 e a quantidade de vacinados, disse que a situação do país “é até confortável” .

O Brasil registrou na terça (16) um novo recorde negativo com 2.798 mortes pela Covid-19 em 24 horas e totalizou 282.400 óbitos desde o início da pandemia. Também desde que a pandemia começou, o país já registrou 11.609.601 casos de infecção pelo coronavírus, 84.124 deles confirmados na terça. Segundo a Fiocruz, o Brasil passa pelo maior colapso hospitalar da história.

“Olhe bem a estatística, mortes por milhão, ou seja, o cuidado do sistema de saúde com as pessoas. Reino Unido, 1.853 [mortes por milhão], em 4º lugar. Estados Unidos, 1.609 por milhão, em 11º. Brasil, 1.300 mortes por milhão, em 22º lugar”, afirmou Barros. (mais…)

São os caixões de março fechando o verão

Por Lúcio Flávio Moura, especial para o blog

Ou nos resignamos ou não perceberemos o quanto estamos perdendo de nós mesmos em intubações fracassadas.

No bip do aparelho, a verdade não está paramentada: há uma falência vital.

Há um vazio – um vazio brutal – no lugar do oxigênio.

Ou nos sensibilizamos ou não reconheceremos este tempo de não-vida, este tempo de marcha medida, na qual liberdade rima com morte.

Ou nos humanizamos ou não entenderemos que um pulmão pode definhar com esta atmosfera de não-afeto que nos confina na mediocridade.

Nos leitos que nos separam, há apenas inconsciência individual.

O luto em todo minuto, a lágrima sem ritual, a cova estocada em chão de desespero.

Lidamos, enfim, com nossas piores escolhas.

Ou nos unimos ou esta bandeira a meio mastro vai tremular sem testemunhas por tanto tempo que não poderemos suportar.

Que pena, Brasil!

Bolsonaro e a desidratação de Pazuello

por Elio Gaspari

Pazuello passará para a história do Ministério da Saúde como gerente de um desastre

Quando se acha que aconteceu de tudo o capitão consegue mais uma. Fritando o general que transformou em bode expiatório, chamou a Brasília a médica Ludhmila Hajjar para convidá-la. (mais…)

Ratinho Jr prorroga lockdown. Taxa de transmissão no Paraná é a maior do País

O governador Ratinho Jr prorrogou o decreto que promoveu o lockdown no Estado. As restrições continuarão até o dia 1 d abril.

É bom lembrar que cada cidade pode também apresentar novos decretos aumentando as restrições.

No Paraná já morreram 13.826. Somente hoje o boletim da Secretaria de Saúde do Paraná apresentou 310 ótibos.

A taxa de transmissão está em 1,33, ou seja, cada 100 infectados contamina outras 133 pessoas, é o maior índice no País.