Audiência pública debate crise nos presídios

Atenção, hoje às 19h, na Câmara de Vereadores de Londrina ocorrerá um debate sobre a crise de segurança nas prisões. O presidente da Câmara, Rony Alves agendou a discussão depois da reunião com vários agentes penitenciários de Londrina, que descreveram várias situações. Espera-se no final do debate elaborar uma carta de intenções para o governador Beto Richa, com propostas de melhorias. A atenção para o assunto se deve ao fato de Londrina contar com duas penitenciárias estaduais (PEL I e PEL II). A audiência quer reunir o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná (Sindarspen), Pastoral Carcerária, além de professores e alunos do curso de Direito.

A doce vida do Procon de Londrina

Hoje funcionários do Procon de Londrina ficaram assim, digamos, admirados com a generosidade da Prefeitura da cidade, mas também muito preocupados com a própria saúde.

O órgão recebeu 240 quilos de açúcar para seu consumo.

Detalhe: a equipe do Procon tem aproximadamente 20 pessoas.

A Secretaria de Saúde também está a postos caso haja aumento de incidência de diabetes entre os funcionários do Procon.

Lindolfo Júnior foi até candidato ao governo do Paraná

Lindolfo Júnior, ex-apresentador da TV Cultura de Maringá (Globo), tinha um estilo de galã de quermesse quando atuava na TV. Eleito vereador em Maringá aos 22 anos, depois foi deputado estadual entre 1987 e 1991.

Em 1990 aventurou-se a ser candidato ao governo do Paraná pelo Partido Liberal, mas desistiu da candidatura pouco antes do dia da eleição.

 

Ex-deputado de Maringá é citado na denúncia de desvios de dinheiro em Rondonia

Do BrasilNotícia

O terceiro grupo tinha como membros LINDOLFO JÚNIOR (ex-deputado estadual do Paraná e ex-namorado de uma das irmãs de Confúcio), MARCELO, LUIS TEDESCO, ROSE, SAMANTA E MARCOS (todos ligados a Lindolfo).

De acordo com os depoimentos à Polícia Federal, o governador Confúcio Moura iniciou a formação da quadrilha para atuar na Saúde de Rondônia no segundo mês de mandato. “Ele me chamou em seu gabinete e falou que Lindolfo Júnior iria trabalhar nos projetos básicos da EICON Informática e Tecnologia que iria prestar serviço ao Estado nas secretarias de Saúde, Educação, Finanças e Segurança Pública”, disse Batista. Em seguida, Lindolfo Júnior, o ex-deputado paranaense formou sua própria equipe, com Luis Tedesco, Rose e Samanta, para trabalhar na elaboração de projetos básicos da empresa Cinacs Logística e no processo de aquisição de medicamentos para as unidades hospitalares do governo. O contrato girava em torno de R$ 119 milhões.  José Batista foi categórico ao afirmar que o grupo direcionava licitações para beneficiar as empresas Eicon e Cinacs. Quando foi preso revelou que um contrato com a segunda empresa estava sob análise do Tribunal de Contas (TCER).

http://www.tudorondonia.com.br/noticias/batista-entrega-confcio-e-diz-que-dinheiro-da-sade-pagou-contas-da-campanha-cunhado-sempre-atuou-no-esquema,47806.shtml

Terceirizadas de hospitais estaduais de Londrina estão sem receber

Não é só para a Universidade Estadual de Londrina que o governo Beto Richa anda devendo. Os hospitais estaduais da cidade, Zona Norte e Zona Sul, também estão com problemas. Empresas terceirizadas que prestam serviços nos hospitais na área de saúde estão sem receber há um bom tempo. Sabe o que isso significa? Sem ter como pagar médicos, em breve o atendimento pode ser comprometido.

Bióloga é a nova presidente do PSol de Londrina

No sábado aconteceu em Londrina o IV Congresso Municipal do PSOL que elegeu a bióloga Patrícia Santos presidente da sigla.

O PSOL quer deixar de ser coadjuvante para ser protagonista nas discussões políticas da cidade. Os dois objetivos principais são formar uma chapa forte para a disputa da Câmara Municipal e também articular uma frente de partidos de esquerda para disputar a prefeitura.

Paraná quer importar Secretário da Fazenda

Mauro Ricardo (Foto: Divulgação/Assembleia Legislativa)Do Felipe Patury/Época

Aliados do governador reeleito do Paraná, Beto Richa (PSDB), trabalham para que o secretário da Fazenda de Salvador, Mauro Ricardo Costa, assuma a condução da economia paranaense. O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), disse à sua equipe que não vai deixar Mauro Ricardo sair do cargo. Auditor fiscal da Receita Federal e ex-secretário de Estado da Fazenda de São Paulo, Mauro Ricardo é considerado um dos principais ativos da gestão bem avaliada de ACM Neto. Em dois anos, Mauro Ricardo conseguiu a aprovação da reforma tributária na Câmara Municipal de Salvador e aumentou as receitas da cidade.

Cruzeiro manda e desmanda no Brasileirão. É campeão

De longe o time mais equilibrado e talentoso do Campeonato Brasileiro de 2014, o Cruzeiro mostrou pelo segundo ano seguido que não tem pra ninguém. É Campeão Brasileiro com todos os méritos.

A vitória de hoje sobre o Goiás por 2 a 1 mostrou que o time sobrou mesmo na competição e ainda tem a possibilidade de conquistar a Copa do Brasil, caso vença o Atlético Mineiro, por mais de dois gols na quarta-feira.

Ano brilhante da Raposa que já também tem na estante, a taça de Campeão Mineiro.

Últimas apresentações de “Bodas de Café”

Do N.Com/Londrina

O espetáculo teatral “Bodas de Café” entra na reta final das apresentações. A montagem fica em cartaz até a próxima terça-feira (25), diariamente às 20h30, no Circo Funcart (Rua Senador Souza Naves, 2380), com ingressos a R$ 10 (R$ 5 meia). A peça, escrita por Nitis Jacon e pelo lendário Grupo Proteu em 1984, foi remontada pela Escola Municipal de Teatro em homenagem aos 80 anos de Londrina. Ela conta a trajetória da cidade desde a sua fundação pela ótica de personagens curiosos e excluídos da história oficial, como as prostitutas, os lavradores, os imigrantes e os trabalhadores anônimos. Todas as figuras são reais e foram trazidas para a ficção por meio de pesquisas e entrevistas realizadas pelos atores do Proteu. Na época, o espetáculo circulou por todo o Brasil e teve trechos censurados pela ditadura militar. A remontagem conta com a participação de 16 atores da Funcart sob a direção de Carol Ribeiro e Simone Andrade.

Hoje tem Tempo de Travessia, no Teatro Zaqueu de Melo

A peça Tempo de Travessia, baseada em um conto do livro do prof. Moacyr Medri, será apresentada hoje no Teatro Zaqueu de Melo, às 20h30 e na próxima sexta e sábado também neste mesmo horário.

Mais de 500 londrinenses já se divertiram e se emocionaram com o espetáculo. A peça é uma viagem na Londrina da década de 70, a luta dos estudantes contra a ditadura militar, com muita poesia e boa música, ao vivo, (Chico Buarque, Caetano, Vandré e Beatles).

Tem blog novo na praça. É o Quilombo Pé Vermelho

Como todos sabem, ontem foi comemorado o Dia da Consciência Negra. E, para marcar o dia, começou a ser veiculado na internet o blog Quilombo Pé Vermelho

Segundo os idealizadores,  o blog é o resultado de um trabalho acadêmico entre alguns alunos do 2º ano de Relações Públicas noturno da UEL e José Mendes Palmares e Maria Eugênia Almeida, integrantes do Movimento Negro de Londrina. O intuito do blog é de ser um canal alternativo na divulgação de informações sobre a comunidade negra da cidade, do Brasil e do Mundo.

Link do blog: quilombopevermelho.blogspot.com.br/

Sobre a Fiscalização do Procon-Londrina

Nota de Esclarecimento

A respeito da reportagem do jornalista Dangele Alberto(http://g1.globo.com/…/tribunal-de-justica-cancela-…/3780988/) e a respeito da matéria do preclaro jornalista Cláudio Osti (datada de 19/11/2014 (http://www.claudioosti.com.br/?p=784#comments), e considerando os questionamentos de inúmeros amigos conhecidos, amigos e mesmo de desconhecidos (não diretamente a mim, apenas por “indiretas”), informo, exclusivamente em nome pessoal e fora do horário de serviço, e não em nome do Procon:
1. O auto de infração que tem sido divulgado é datado de 30/06/2010. Sou leitor do Paçoca com Cebola e telespectador da RPC TV há anos e, desde a data de 12/03/2012, tenho atuado, após regular aprovação em concurso de provas e títulos, na função de fiscal do Procon, bem como, há aproximadamente 1 ano, como gerente de fiscalização do mesmo órgão, de maneira que me sinto no direito e mesmo na obrigação de responder ao seu questionamento a respeito da atuação do Procon de Londrina: embora não tenha sido lavrado por mim, é necessário fazê-lo para deixar claro que a fiscalização já mudou e tem evoluído continuamente.
2. De fato, em que pese estar ao lado da defesa do consumidor, a decisão do Juiz pela anulação é absolutamente inatacável: o auto de infração e a própria fiscalização são nulos, por absoluta falta de fundamentação fática e de motivação técnica.
3. Sobre os fatos: as supostas infrações ocorreram em função do aumento do preço do etanol de R$ 1,25 para R$ 1,68, conforme se verificou em pesquisa telefônica.
4. São apontadas duas infrações, ambas fundamentadas em normas do Código de Defesa do Consumidor: uma, consistente no art. 39, inc. V, consistente em “exigir vantagem manifestamente excessiva”; a segunda, consistente no art. 39, X, consistente em “elevar sem justa causa o preço de produtos ou serviços.”
5. A fiscalização foi realizada, de maneira ABSURDA, por telefone. Fique certo, o contribuinte londrinense, que a partir da posse dos atuais fiscais que trabalham aqui, JAMAIS seria realizada uma fiscalização por telefone: a fiscalização pela Administração Pública, no Procon ou em qualquer outro lugar, se faz é com trabalho, é com suor, é na sola do sapato, é gastando saliva e indo questionar, pessoalmente, o fornecedor. Não é por telefone. Não é “na flauta”. Não é com preguiça física e intelectual: é verificando os fatos, comparando com a lei e, a partir daí, autua-se estiver errado, ou não autua se não estiver errado.
6. Na pior das hipóteses, o que poderia ter sido feito seria notificar cada um dos Fornecedores de combustíveis em Londrina e requisitar que fornecessem as notas fiscais de compra de combustíveis e as notas de venda, bem como que esclarecessem os eventuais aumentos dos insumos de sua atividade produtiva e, A PARTIR DISTO, autuar ou não. Não se realiza uma autuação por “presunção”: o trabalho de fiscalização é eminentemente técnico, é uma comparação entre fatos e a lei. E os fatos não são verificados em um mero telefonema perguntando qual o preço do etanol, mas sim verificando o contexto: qual foi o aumento no preço e qual foi o aumento nos custos – que não são constituídos exclusivamente pelo combustíveis, havendo também aluguéis, data-base de funcionários, entre inúmeros outros custos.
7. No contexto atual, não consigo entender que o aumento dos preços, que conforme é público e notório estava represado há meses pelo maior fornecedor do país (PETROBRÁS), e que foi agora liberado pelo governo federal, tenha sido injustificado, e é este o motivo pelo qual não está sendo realizada fiscalização neste momento. O que não significa que não venha a ser realizada, eventualmente, no futuro, com métodos adequados e com resultados efetivos, não com o CIRCO fiscalizatório-telefônico-midiático que foi realizado em 2010.
8. Não significa, também, que não vá ser realizada fiscalização futura, a depender do contexto: SE houver alinhamentos de preços comprovado, SE os aumentos forem excessivamente abruptos ou desmotivados, SE não tiver havido aumento pelas grandes distribuidoras (Petrobrás, principalmente), entre outros inúmeros fatores: se necessário for, será fiscalizado, ainda que tenha severas dúvidas acerca da efetividade.

9. O que é absolutamente CERTO é que uma fiscalização – mais correto seria chamar de “molecagem” – realizada por telefone NUNCA VAI DAR CERTO. Não conversei com os responsáveis pela fiscalização de 2010, mas a minha impressão pessoal é de que foi feita mais para inglês ver do que para ter efeito real. E aí, a impressão que fica é… bom, a impressão que ficou, após essas publicações: que o PROCON de Londrina está aí para fazer micagens e aparecer na imprensa.

10. Sem mais. Apenas lamento.

Fábio Sefrin