Atos antidemocráticos: Moraes mantém preventiva de "Fátima de Tubarão"

do Migalhas

Ministro Alexandre de Moraes decidiu manter a prisão preventiva de Maria de Fátima Mendonça Jacinto Souza, conhecida como “Fátima de Tubarão”. Ela é acusada de participar dos atos de invasão ao Palácio do Planalto em 8 de janeiro.

Durante a invasão, Maria de Fátima foi filmada em um vídeo que se tornou viral, no qual incitava violência e fazia ameaças diretas ao ministro Alexandre de Moraes, dizendo: “Vamos para a guerra, é guerra agora. Vamos pegar o Xandão agora.” Além disso, em outro vídeo, ela admitiu que “estava quebrando tudo”.

Ré em processo no STF por cinco crimes, Maria de Fátima foi presa em 27/01/23. Desde então, sua prisão preventiva foi mantida em diversas ocasiões ao longo do ano passado e neste ano, sempre por decisão do ministro Alexandre de Moraes.

Na decisão do último dia 27, Moraes justificou a manutenção da prisão preventiva como necessária para interromper atividades criminosas, apontando “indícios significativos” de sua participação nos atos violentos. O ministro rejeitou o pedido de liberdade provisória feito pela defesa, argumentando que a substituição da prisão por outras medidas cautelares seria inadequada.

Moraes ressaltou a influência de Maria de Fátima sobre os demais envolvidos e seu desprezo pelos Poderes instituídos, destacando a tentativa de ruptura do sistema democrático e os ataques às Instituições Republicanas.

Compartilhe
Leia Também
Comente

Um comentário

  1. Satanás

    Será que nenhum dos vereadores bolsonaristas de Londrina vai propor o título de cidadã honorária para o símbolo maior do bolsonarismo no Brasil, a dona “Fátima de Tubarão” ou, como é também conhecida, “Fátima Cagona”? Será que os bolsonaristas londrinenses seguem tão fielmente seu guia que também abandonam os soldados capturados à margem da estrada? Quá! Quá! Quá!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar
Anúncios
Paçocast
Anúncios