Augusto Aras: "Democracia eu te amo". Será mesmo?

E na reabertura dos trabalhos do Judiciário, o Procurador Geral da República, Augusto Aras declarou amor à democracia durante abertura cerimônia.

“Como dizia o poeta à sua amada, e tinha que repetir todos os dias, ‘eu te amo, eu te amo e eu te amo’, para não se esquecer nunca do seu amor pela amada. Nós cidadãos do Estado Democrático de Direito precisamos dizer todos os dias: ‘democracia, eu te amo, eu te amo, eu te amo’, porque essa democracia conquistada a duras penas exigiu sangue, suor e lágrimas”, disse Aras.

Um amor aparentemente tóxico se considerarmos seu desempenho durante os 4 anos de Bolsonaro
Em público as declarações de amor. No exercício da função deu provas de amor, mas não exatamente à democracia.

Compartilhe
Leia Também
Comente

Um comentário

  1. Campos

    Diante dos atos terroristas praticados por bolsonarista no dia 8 de janeiro em Brasília, Augusto Aras resolveu trabalhar um pouco. Já solicitou a abertura de dezenas de inquéritos envolvendo os golpistas que atacaram os prédios do Congresso, do STF e o Palácio do Planalto. Até pediu investigação do genocida, que continua lá nos Estados Unidos contestando o resultado eleitoral e fazendo discurso golpista. Todas essas ações não vão limpar a sua biografia de protetor de um golpista que passou quatro anos na presidência organizando e insuflando um bando de gente violenta contra a democracia e que desaguou no dia 8 de janeiro. Aras deveria estar atrás das grades também.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar
Anúncios
Paçocast
Anúncios