Banco do Brasil tem lucro recorde

O Banco do Brasil (BB) teve lucro líquido ajustado recorde de R$ 31,8 bilhões em 2022, com crescimento de 51,3% em relação a 2021. Segundo balanço divulgado hoje (13) à noite pela instituição financeira, apenas no quarto trimestre, o lucro totalizou R$ 9 bilhões, alta de 52,4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com o BB, o crescimento no lucro pode ser explicado pelo crescimento na concessão de crédito com inadimplência controlada. O banco também atribui o lucro recorde à diversificação de receitas, à disciplina na gestão de custos e à solidez na estrutura de capital.

Segundo o Banco do Brasil, 40% do lucro será distribuído aos acionistas na forma de dividendos e de juros sobre o capital. Isso equivale a R$ 11,8 bilhões.

Carteira de crédito

A carteira de crédito ampliada do Banco do Brasil encerrou 2022 acima da marca histórica de R$ 1 trilhão, com alta de 14,8% em relação a 2021. Os destaques foram as operações com pessoas físicas, com empresas e com o agronegócio.

Em relação às pessoas físicas, a carteira de crédito cresceu 9% no ano passado, somando R$ 289,6 bilhões. A expansão foi influenciada pela carteira de crédito consignado, que encerrou 2022 em R$ 115,1 bilhões. A carteira de crédito para pessoas jurídicas totalizou R$ 358,5 bilhões, com alta de 12,8% em 12 meses.

A carteira ampliada do agronegócio somou R$ 309,7 bilhões, batendo o recorde registrado em 2021. O crescimento totalizou 8,3% em relação ao trimestre anterior e 24,9% em 12 meses. O BB manteve a liderança no crédito ao segmento.

O índice de inadimplência acima de 90 dias das operações de crédito do banco ficou em 2,5%. Apesar do aumento em relação ao fim de 2021, quando estava em 1,75%, o indicador continua inferior à média do Sistema Financeiro Nacional, de 3%.

A carteira de negócios sustentáveis, que engloba os empréstimos a projetos com impacto social e ambiental positivo, somou R$ 327,3 bilhões no ano passado, com alta de 12,3% em 12 meses. O montante corresponde a um terço do crédito total do banco.

Receitas e despesas

As receitas com prestação de serviços totalizaram R$ 32,3 bilhões em 2022, alta de 10,2% quando comparado com 2021. Os destaques foram os segmentos de administração de fundos (+11,8%); seguros, previdência e capitalização (+14,6%); e operações de crédito e garantia (+27,4%).

As despesas administrativas aumentaram 5,6% no ano passado, abaixo da inflação acumulada no ano passado e dentro das projeções do banco, que variavam entre 4% e 8%.

O BB também divulgou as projeções para 2023. Para este ano, a instituição prevê lucro líquido ajustado entre R$ 33 bilhões e R$ 37 bilhões, expansão de 8% a 12% na carteira de crédito e crescimento de 7% a 11% tanto nas receitas com prestação de serviços como com gastos administrativos. Em abril, a instituição financeira fará um concurso. As inscrições encerram-se no próximo dia 24.

Compartilhe
Leia Também
Comente

8 Comments

  1. Genildo

    Vamos ver como fica daqui a 2 anos sob gestão do PT.
    Aliás, alguém conhece algum petista comprando ações de empresas listadas na B3 e administradas por pessoas ligadas ao PT?

  2. Satanás

    Depois do lucro vem o calote da Americanas: R$ 1,6 bilhão. Isso é o que o BB chama de “crescimento na concessão de crédito com inadimplência controlada”. Quá! Quá! Quá!

  3. Mateus Oliveira

    Espero que o BB, a partir de agora, volte e focar suas atividades mais no crescimento econômico do país do que na distribuição de dividendos provenientes de lucros abusivos aos sócios privados.

    1. Genildo

      É só aplicar o que o Bolsonaro sempre dizia: “é só não roubar”.
      E digo mais, é só não roubar que dá pra pagar os dividendos dos acionistas e focar no crescimento econômico do Brasil, se bem que com gestão petralha fica difícil qualquer uma das coisas.
      Aliás, uma dica aos comunopetistas: é só procurar por BBAS3 na internet, hoje esta cotada a R$ 41,63, é só comprar algumas cotas e se tornar um dos “sócios privados” do BB e participar do recebimento dos dividendos provenientes de “lucros abusivos” ou estão achando que “sócio privado” tem obrigação de investir dinheiro pra servir de cabide de emprego pra petralha?

      1. Satanás

        Quá! Quá! Quá! Então o genocida dizia “e só não roubar”. Quá! Quá! Quá! Dizia mas não fazia. Quá! Quá! Quá! Alguém aqui já viu uma família de servidores públicos comprar imóveis com R$ 26 milhões em dinheiro vivo? Quá! Quá! Quá! Conselho de cleptocrata a gente nunca leva a sério, ele manda fazer o que ele nunca faz. Quá! Quá! Quá!

        1. Genildo

          Mas se essa compra de imóveis no valor de 26 milhões em dinheiro vivo existe e é ilegal por que não provam como fizeram como fizeram com Lula, Zé Dirceu, Sérgio Cabral, Youssef, Aldemir Bendine, André Vargas, Carlos Alberto Pereira Costa, Delubio Soares, Eduardo Cunha, João Santana, João Vaccari e mais outros 275 envolvidos?
          Tá mais pra converseiro de cleptocrata como foi na história forjada pelo PT sobre o FHC e o Dossê Caimãs, lembra? Claro que não né, memória de petralha é seletiva.
          Conselho de cleptocrata se leva a sério sim senão Lula não estaria eleito.

  4. Prado Júnior

    E o nível de atendimento dos atuais funcionários só despensa. Aqui em Londrina é muito ruim. Fica dica pra coordenador regional. Um empresário conhecido até já mandou e-mail para nova diretoria reclamando e citando agência.

  5. Nivalda Bueno

    Poderia baixar taxas de empréstimo. O fico era ser um banco pra ajudar no desenvolvimento do País. Idem a CEF. Menos lucro e mais condições pra aqueles que precisam de suporte no agro e nas empresas pequenas e médias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar
Anúncios
Paçocast
Anúncios