Bens do traficante “Cabeça Branca” começam a ser leiloados

Londrina tem uma economia forte em vários setores, MetalMecânico, Agronegócio, Saúde, Tecnologia da Informação, Construção Civil e…

Sim, sim.

Londrina também produz contrabandistas, traficantes, políticos esquisitos, etc.

Entre a “catiguria” dos trafica,  Cabeça Branca, ou pelo seu nome de batismo Luiz Carlos da Rocha, é o top one. Quando moleque ele jogava bola na quadra da Vila Nova, em Londrina. Segundo a Polícia Federal, ao ser preso em julho de 2017, ele era dono de um patrimônio avaliado em pelo menos R$ 325 milhões de reais.

Por quase 30 anos foi dos mais procurados do País. Ainda conforme a PF, seu time era responsável por enviar cerca de cinco toneladas de cocaína por mês para os EUA, Europa, África e Asia.

Agora a Justiça autorizou o leilão de duas de suas fazendas localizadas no norte do Mato Grosso. As duas propriedades ficam em Marcelândia. Uma delas, denominada como Fazenda Estrelinha possui 596,4595 hectares entre área aberta utilizada para a produção de grãos e mata nativa. O local contém como benfeitorias: dois barracões, duas casas de alvenaria e quatro casas de madeira. Ela está avaliada em R$ 7.517.400,00.

Já a segunda fazenda, chamada de Fazenda Jupinda II, tem 620,5725 hectares, encontra-se coberta por vegetação nativa e não possui benfeitorias. Sua avaliação é R$ 1.241.145,00.

Se você tiver um quais quais sobrando e quiser participar do leilão precisa acessar o site https://topoleiloes.com.br/ cadastrar-se e na data prevista ofertar os lances durante o leilão. Outra opção é participar de forma presencial no Auditório Topo Leilões, situado na Rua Prefeito Ângelo Ferrário Lopes, nº 1705, em Curitiba, no Paraná.

Um comentário em “Bens do traficante “Cabeça Branca” começam a ser leiloados

  • 27/07/2019, 10:21 em 10:21
    Permalink

    É terra que deveria ser usada para reforma agrária.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: