Com R$ 33 bilhões, Foz do Iguaçu tem maior movimento de cargas da América Latina

O porto seco de Foz do Iguaçu movimentou no mercado internacional em 2022 mais de US$ 6,5 bilhões (R$ 33 bilhões) em produtos e mercadorias na exportação e importação. O volume de recursos, monitorados pela Receita Federal (RF), confirma a região alfandegária do Brasil, na fronteira com Paraguai e Argentina, como a maior da América Latina, em movimentação de cargas.

Os dados ressaltam a importância de Foz do Iguaçu como principal pólo logístico do Mercosul, afirma o prefeito Chico Brasileiro. “Nosso município, referência no turismo, se coloca de maneira muito forte no setor de logística dentro e fora do continente. Tudo isso contribui para melhorar a economia. É mais emprego e renda para os moradores e o crescimento social da cidade”, frisou.

Chico  Brasileiro lembra que estão em curso obras de infraestrutura como a segunda ponte com o Paraguai, a Perimetral Leste e o novo porto seco. “O novo aeroporto, por exemplo, está apto para receber e despachar cargas. E a nova Ferroeste prevê um ramal entre Foz do Iguaçu. Mas desde já somos um hub logístico e um centro internacional de compras”;

O ano passado teve uma pequena redução no fluxo de cargas na comparação com 2021, informa a RF, que destaca o aumento acima de 12,9% nos valores em dólares do comércio exterior. Segundo o delegado da alfândega, o auditor fiscal Paulo Bini, a quebra da safra de grãos paraguaia foi responsável pelo número não ter sido ainda maior. Nos 12 meses do ano passado, foram liberados 201.262 caminhões. Agosto se destacou como mês com maior movimentação: 18.983 veículos.

As cargas de importação totalizaram 113.699 veículos, dos quais 29.789 são da Argentina e 83.910 do Paraguai. Em relação às exportações, foram 16.036 cargas com destino a Argentina e 71.527 cargas para o Paraguai, totalizando 87.563 cargas. Numa abordagem por país, o volume de exportações e importações registrou 155.437 caminhões com o Paraguai e 45.825 com a Argentina. O fluxo com o Paraguai chega a 72,2% do total, índice que destaca a importância comercial do país para o Brasil.

Comércio internacional

Em 2022, o valor da corrente de comércio desembaraçado no porto seco de Foz do Iguaçu foi de aproximadamente US$ 6,5 bilhões – US$ 3,7 bilhões em exportações e US$ 2,8 bilhões em importações. Esses valores superam 2021 em 12,9%, quando foram movimentados cerca de US$ 5,7 bilhões. Os destaques foram as exportações para o Paraguai que somaram US$ 3,04 bilhões, que representa cerca de 82,28% em relação a todas as exportações que passaram pela alfândega local.

O porto seco registrou uma grande diversidade de produtos chegando e saindo do país todos os anos. No ano passado, os principais gêneros exportados para o Paraguai foram cimento, fertilizantes, adubos e máquinas agrícolas, enquanto para a Argentina veículos automotivos, peças e madeiras. Já as principais mercadorias paraguaias foram grãos (arroz, trigo, milho, soja), carne, ferro e têxtil; e da Argentina vieram peixes, frutas, alho, azeitonas, celulose, feijão e farinha de trigo.

A RF reconhece que Foz do Iguaçu vem se consolidando a cada ano no segmento de logística e incrementando cada vez mais o comércio internacional que circula por este ponto de fronteira. Para contribuir no desenvolvimento do comércio formal entre os países vizinhos, o órgão diz ter um “comprometimento com a fluidez, previsibilidade e segurança das operações dos intervenientes do comércio exterior, através do programa Operador Econômico Autorizado (OEA)” e que “busca cada vez mais a inovação com o escopo de atender de maneira mais eficiente os usuários”.

Compartilhe
Leia Também
Comente

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar
Anúncios
Paçocast
Anúncios