Folha de Londrina 70 anos, e eu estive por lá

A Folha de Londrina está completando hoje 70 anos. E continua valente nestes tempos bicudos para as midias impressas.

Este blogueiro integrou a equipe por uma década e meia. Passei por praticamente todas as editorias, mas fiquei mesmo mais tempo no Esporte e na Política. Tive prazer de escrever e editar o Informe Folha por alguns anos. Arrumei alguns enguiços com políticos, rsrsr.

Escrevi a coluna Na Geral, com crônicas sobre o esporte. Arrumei alguns enguiços com torcedores de vários times.

Com a amiga jornalista Lucilia Okamura, escrevemos uma das matérias que mais me marcou, a cassação do então prefeito Antonio Belinati. Um trabalho de equipe que me recordo até hoje.

Lembro em abril de 1998, um dia em que já havíamos fechado a edição e estávamos tomando uma breja na lanchonete do Marquinho português, quando veio o plantão do JN dizer que o poderoso Luiz Eduardo Magalhães morrera. Para tudo, correria, volta pra redação, refaz a edição…

Tanta gente bacana passou pela Folha. Tantos excelentes jornalistas, fotógrafos… pessoas como Carlos Silva, jornalista das antigas, bem antigas pra falar a verdade, sempre com uma história curiosa pra contar..

Stelio Feldmann, leitor voraz, que dizia que livro não tinha que ficar em bibliotecas guardados, precisavam circular de mão em mão.

Tantos amigos cabeças duras, tantos outros cabeças abertas, tantos bem humorados, tantos ranzinzas.

Por décadas a Folha foi mais que um jornal para Londrina e para a região, era o grande impulsionador de progresso, comprando brigas e mais brigas em nome da cidade.

Lembro de uma frase do João Milanez: “Eu me integro, mas não me entrego”.

Que seja sempre assim, Folha de Londrina, integrando-se sempre e não se entregando nunca.

 

Deixe uma resposta