Medicamentos usados para manter pacientes de UTI sedados acabam em 4 dias no PR, diz secretário

do CabezaNews

O secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, afirmou em uma entrevista nesta quarta-feira (22) que alguns medicamentos usados para manter pacientes de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) sedados e entubados vão acabar em até quatro dias.

“Quero dizer que estamos no limite da falta de medicamentos pra manter pacientes sedados e entubados. Essa falta não é só no Paraná. Temos estoques de alguns medicamentos para mais três dias, quatro dias”, disse.

A afirmação foi feita durante um programa da Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (Aerp). O secretário não explicou quais nem quantos medicamentos estão em falta. O G1 entrou em contato com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e aguarda retorno. (leia mais)

4 comentários em “Medicamentos usados para manter pacientes de UTI sedados acabam em 4 dias no PR, diz secretário

  • 23/07/2020, 13:29 em 13:29
    Permalink

    O que adianta ter leitos de UTI disponíveis, contratar profissionais de saúde, se não tem os medicamentos necessários? Os hospitais tem que parar de fazer cirurgias eletivas e fazer tudo que for possível para deixar para depois, se puder, então que deixe para depois. E fico revoltado, já tenho ouvido essa história de falta de medicamento há muito tempo, e essa semana mesmo, soube que a irmã de uma amiga fez um cirurgia estética. Precisa fazer cirurgia estética na pandemia? E esses cirurgiões que estão fazendo essas cirurgias que não são urgentes? Não tem solidariedade e empatia com os colegas de profissão que estão trabalhando nas UTIs e estão sentindo falta desses medicamentos?

    Resposta
  • 23/07/2020, 20:48 em 20:48
    Permalink

    E tem muitas autoridades e muitos líderes empresariais defendendo que o comércio e a indústria funcionem normalmente. E tem muito londrinense seguindo seu presidente e permanecendo “nem aí” para o coronavírus. Mas existe uma bomba que explode silenciosa todos os dias e uma pior sendo armada. Em Londrina, o prefeito anunciou 256 novos casos da infecção em apenas 2 dias. Anunciou também 2 óbitos em dois dias. Como a taxa de mortalidade de covid está na faixa dos 4,14% (quase o dobro da taxa no Paraná e acima da taxa no Brasil, que é de 3,67%), em breve teremos 10 mortos como consequência dos londrinenses contaminados em apenas 2 dias. Será que alguém vai esconder esses mortos pra garantir a paz dos cemitérios na cidade?

    Resposta
  • 23/07/2020, 20:52 em 20:52
    Permalink

    Epa! A bem da verdade, uma correção. Em dois dias foram 216 contaminados e provavelmente serão 9 mortos. Menos do que registrei mas igualmente números insuportáveis…

    Resposta
  • 24/07/2020, 11:18 em 11:18
    Permalink

    Semanas atrás, o secretário Beto Preto disse que Arapongas poderia ser incluída na quarentena que fechou atividades não essenciais em várias cidades do Paraná, inclusive Londrina. A afirmação do secretário fez o prefeito Sérgio Onofre ter um chilique, dizendo que Beto Preto deveria ir mandar em Apucarana porque quem mandava em Arapongas era ele, o prefeito. O coroné Onofre deve (ou, pelo menos, deveria) estar mordendo a língua. Arapongas acabou não entrando na quarentena do Ratinho Jr. e hoje o resultado é claro: 152 araponguenses infectados pelo coronavírus e 3 mortos em apenas 2 dias. Um absurdo pelo tamanho da cidade.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: