Mercado ilícito movimenta mais de R$ 15 bilhões no Brasil

Sabe aquele maço de cigarro contrabandeado, a peça que vem do exterior sem nota, ou a que é encontrada em desmanches clandestinos,  o uisque baratinho…

Então, segundo uma pesquisa encomendada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, esse mercado paralelo movimentou R$ 15,7 bilhões em 2016.

Foram monitorados apenas nove setores – tabaco, eletrônicos, vestuário, químicos, automotivo, alimentos, higiene, brinquedos e medicamentos – por isso a conta deve ser maior ainda.

“O objetivo é identificar, apontar os problemas”, disse. “Não é possível olhar o roubo de um celular apenas como a atitude de um batedor de carteira”, afirmou. “Existe todo um mercado por trás e assim é com vários setores, como o roubo de peças de carros, por exemplo. Temos que enfrentar o mercado, não o ladrão de carro”, diz o coordenador do estudo de Mercados Ilícitos do Deseg, João Henrique Martins.

Para Martins, “uma vez o mercado instalado, está aberta a porta do inferno”. O anuário considerou nove mercados: tabaco, eletrônicos, vestuário, químicos, automotivo, alimentos, higiene, brinquedos e medicamentos.

Foi considerada produção ilícita interna os produtos que foram roubados, furtados ou fabricados ilegalmente. Já a produção ilícita externa envolve os produtos que foram importados ilegalmente, por contrabando e descaminho. “Trata-se de um mercado muito bem organizado, um parasita do mercado legal”, disse Martins.

A pesquisa do Deseg identificou que, se toda essa estrutura tivesse sido atendida pela economia formal, teriam sido gerados 82 mil empregos, com o pagamento de R$ 3,61 bilhões em impostos federais.

4 comentários em “Mercado ilícito movimenta mais de R$ 15 bilhões no Brasil

  • 07/12/2017, 21:12 em 21:12
    Permalink

    Mas a Fiesp fica bem caladinha quando o assunto é a sonegação fiscal das grandes empresas…

    Resposta
  • 08/12/2017, 07:43 em 07:43
    Permalink

    eles roubam em brasilia e nós aqui assim deixaremos pouco para eles roubarem.

    Resposta
  • 08/12/2017, 10:36 em 10:36
    Permalink

    Se um mercado paralelo que movimenta R$ 15 bilhões assusta, imagine uma Medida Provisória que perdoa dívidas das petroleiras no valor de R$ 54 bilhões! É isso aí, bichos, o presidente dos paneleiros está concedendo esse presentinho a empresas como a pobrezinha Shell. Deveria assustar mas a turma que continua extasiada com a cassação da presidente Dilma acha normal essa MP do Temer. Mas não vamos esquecer que esse “mercado ilícito” (grandes merdas!) garante o pão de cada dia de muitos cidadãos que perderam seus empregos e, se dependerem do presidente dos coxinhas, morrerão antes de conseguir voltar a trabalhar no “mercado lícito”.

    Resposta
  • 08/12/2017, 17:49 em 17:49
    Permalink

    Reflexo de um país em que o Estado só consegue travar o desenvolvimento com sua burocracia infernal, sua carga tributária imensa e caótica e com fiscais corruptos monitorando tudo isso. Coisa bem petista, aliás.

    Quer ver um exemplo de resultado disso? Muitos comerciantes dos mais variados tipos de mercadoria, desde bebidas a eletrônicos, ao invés de abrir empresas, estocam os produtos em casa e vendem pelo Mercado Livre. Pra quê entrar no pesadelo brasileiro sendo que o tempo e dinheiro gasto para se pagar tributos, obter alvarás e manter aquela ##### de Justiça do Trabalho, empesteada de juízes que trabalham na base do CTRL+C CTRL+V menos de 30 horas por semana e recompensados com supersalários e “adicionais” que mais do que dobram seus salários de cinco dígitos (às vezes chegando a seis!); e advogados de sindicato eternamente rodeando empresários como se fossem abutres, sendo que todo esse dispêndio traz literalmente ZERO benefícios para o empresário?

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: