Modelo de concessão do pedágio poderá continuar esfolando o contribuinte

Está um brigueiro no Paraná. Praticamente em todas as regiões está havendo uma gritaria contra o modelo de concessão de pedágio que o governo Ratinho Jr está aceitando do governo federal.

O ministério da Infraestrutura que impor a licitação pela modalidade de maior outorga.

Geralmente há três modelos de licitação para estes casos:

Na Menor Tarifa, a empresa vencedora é aquela que oferece a menor tarifa na cobrança do pedágio.

Já na Maior Outorga, vence a empresa que oferece uma maior quantia ao Poder Público, sem mencionar o valor da tarifa a ser praticado posteriormente.

Por fim, o Modelo Híbrido é uma mescla dos dois. As empresas indicam a menor tarifa que pretendem e a quantia que vão depositar nos cofres públicos.

Hoje temos 2.500 km de rodovias pedagiadas e 27 praças. Eles querem acrescer mais 800 km e mais 15 praças
e com tarifas que continuarão esfolado o contribuinte.

2 thoughts on “Modelo de concessão do pedágio poderá continuar esfolando o contribuinte

  • 30/01/2021, 09:58 em 09:58
    Permalink

    Não se juntou toda a turma da direita para tirar o PT do governo? A volta do pedágio para dar lucros excepcionais a um grupo selecionado da sociedade brasileira é uma das consequências. Os antipetistas podem resmungar e até xingar mas a verdade é que as tarifas de pedágio mais baratas foram contratadas durante o governo petista. Por exemplo, o pedágio na BR 101, no trecho que passa por Santa Catarina.

    Resposta
  • 30/01/2021, 12:08 em 12:08
    Permalink

    Infelizmente não vejo um brigueiro provocado pela sociedade que deveria ser a maior interessada no assunto. Essa seria a hora de nos livrarmos do maior “estupro coletivo” contra o povo paranaense, como diria Diogo Hutt! Mas as perspectivas com as tendências neoliberalistas dos governos não são nada animadoras, qualquer um dos modelos não garante que o preço será justo nem que haverá justiça em trechos como o pedágio de Jataizinho no qual o cidadão pode pagar mais pedágio do que combustível para as cidades vizinhas depois daquela praça de assalto. Imoral, ilegal, vergonhosa, violenta, imperdoável. De fato um verdadeiro “estupro” coletivo. Na região só vejo o deputado Estadual Tercílio Turini tentando alguma mobilização para evitar outras décadas de exploração social, de privilégios a grandes grupos econômicos e possivelmente políticos. Esta aí um bela pauta política para nossos deputados, nosso vereadores que no mínimo deveriam fazer um barulho político, assim como nosso prefeito! Posteriormente, quando formos “violentados” a cada pagamento de pedágio, não poderemos fazer nem mesmo um boletim de ocorrência!

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: