Presidente demite Ministro da Defesa Fernando Azevedo

Ministro da Defesa do governo Bolsonaro deixa o governo. Segundo a CNN Brasil o cargo do agora ex-ministro Fernando Azevedo e Silva foi solicitado pelo presidente.

Nota Oficial
Brasília, 29 de março de 2021
Agradeço ao Presidente da República, a quem dediquei total
lealdade ao longo desses mais de dois anos, a oportunidade de ter
servido ao País, como Ministro de Estado da Defesa.
Nesse período, preservei as Forças Armadas como instituições de
Estado.
O meu reconhecimento e gratidão aos Comandantes da Marinha,
do Exército e da Aeronáutica, e suas respectivas forças, que nunca
mediram esforços para atender às necessidades e emergências da
população brasileira.
Saio na certeza da missão cumprida.
Fernando Azevedo e Silva

2 thoughts on “Presidente demite Ministro da Defesa Fernando Azevedo

  • 29/03/2021, 17:03 em 17:03
    Permalink

    Foi demitido ou pediu demissão por que não aguentou o Bozo?
    “Nesse período, preservei as Forças Armadas como instituições de Estado”.
    Acho que saiu porque quis se preservar. Aquele lugar está repleto de malucos.
    Quem tem discernimento não fica.

    Resposta
  • 29/03/2021, 20:42 em 20:42
    Permalink

    Parece que alguns generais estão tentando pôr ordem na casa. Esse “casamento” entre Bolsonaro e militares está deixando mal os generais que não querem segurar o rojão que o governo tem colocado em suas mãos. A notícia que explicava a demissão do general ministro da Defesa se espalhou como um rastilho de prova. É que o general Paulo Sérgio deu uma entrevista ao jornal Correio Braziliense que deixou Bolsonaro nervosão. Quem ler essa entrevista vai entender por que Bolsonaro não gostou dela nem um pouquinho. Aí Bolsonaro chamou o comandante do Exército, o general Pujol (que não tem nadica de nada do general preferido do Bolsonaro, Villas Boas), e mandou ele punir o general Paulo Sérgio. Final da história: o general Pujol não puniu o general Paulo Sérgio; o ministro da Defesa do Bolsonaro, que ficou do lado do general Pujol, foi demitido. O episódio, se essa versão for verdadeira, não tem nada a ver com o apetite do Centrão por cargos no governo.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: