Quase dois mil casos de dengue confirmados este ano em Londrina

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Londrina divulgou novo relatório epidemiológico atualizado sobre a situação da dengue em Londrina. Do início do ano até agora, foram confirmados 1.986 casos de dengue, o que aponta que a cidade enfrenta nova epidemia da doença neste momento. Ao todo, o município soma 12.449 notificações relacionadas à dengue, das quais 7.889 estão em análise e outras 2.574 foram descartadas.

Neste novo boletim, também foram confirmados mais dois óbitos, somando três no total. Os novos óbitos são de duas mulheres, uma de 59 anos e outra de 62 anos, e ambas tinham comorbidades. O relatório também traz os casos de chikungunya. Foram 17 notificações da doença, sendo quatro confirmadas, duas descartadas e 11 estão em análise.

As informações foram repassadas pelo secretário da pasta, Felippe Machado, na manhã desta quinta-feira (6), em coletiva de imprensa. “Infelizmente Londrina encontra-se em momento de epidemia de dengue com quase 2 mil casos confirmados. Os atendimentos nas unidades estão subindo nos últimos dias, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Sabará, que é referência para atendimento dos casos de dengue, tem contabilizado 1.000 atendimentos por dia, fora as UBSs que permanecem atendendo casos de dengue. A consequência disso é que os casos começam a se agravar e os óbitos aumentar”, advertiu.

Para tentar conter o avanço da doença, a Prefeitura de Londrina vai promover mutirão de combate à dengue neste sábado (8), em duas regiões: norte, nos bairros Hilda Mandarino e Ouro Verde, e leste, no Guilherme Pires. Estarão envolvidos cerca de 50 agentes de endemias e, conforme explicou o secretário Machado, este mutirão não será de retirada de entulhos e sim de bloqueio de casos.

“O objetivo deste mutirão é realizar o bloqueio de casos, ou seja, analisar as regiões que tiveram, nos últimos dias, mais que um caso confirmado na mesma rua ou quarteirão, e então fazer o bloqueio do local com remoção manual de criadouros e aplicação de veneno através da bomba costal. Além disso, os agentes também vão fazer a vistoria dos imóveis que não conseguiram visitar durante a semana porque os moradores não se encontravam”, explicou.

O secretário municipal de Saúde fez um apelo à população de Londrina, para que todos se unam a fim de vencer a guerra contra o mosquito Aedes aegypti. “Reiteramos que nenhuma medida que a Prefeitura tome será suficiente se não mudarmos o nosso modo de enxergar a dengue, pois 98% dos focos estão dentro das nossas casas, nos vasos de plantas, atrás da geladeira, nas calhas, nos bebedouros dos animais, etc. Temos que cuidar do nosso quintal, orientar os vizinhos, remover objetos que podem acumular água”, enfatizou.

Machado lembrou que Londrina segue sem o apoio do fumacê, já que os municípios não têm acesso ao veneno e nem aos carros que fazem a aplicação, pois os veículos são disponibilizados pelo governo do Estado. “O pouco de veneno que temos estamos usando nas bombas costais, para aplicações pontuais”, afirmou.

Atendimentos – A UPA do Jardim Sabará continua atendendo, exclusivamente, os pacientes com suspeita ou confirmação de dengue. As UBSs também atendem os casos suspeitos de dengue, fazem o estadiamento do paciente e, necessário, o encaminhamento dos casos graves para a unidade de referência. A UPA Sabará fica na Avenida Arthur Thomas, 2.390, com funcionamento 24 horas, todos os dias.

Orientações – A SMS orienta que cada família dedique, pelo menos, 15 minutos de seu tempo, uma vez por semana, para vistoriar sua casa e quintal, verificando se há objetos que podem acumular água. Os itens devem removidos e descartados em sacos plásticos para a coleta seletiva ou para o recolhimento pelo caminhão de lixo. Com uma ação semanal, é possível impedir que ovos, larvas e pupas do mosquito cheguem à fase adulta, freando a transmissão das doenças provocadas pelo Aedes, como a dengue, zika e chikungunya.

A Secretaria Municipal de Saúde disponibiliza o Disque Dengue, por meio do número gratuito 0800-400-1893, para que a população possa fazer denúncias de imóveis ou áreas suspeitas de terem focos do mosquito Aedes aegypti, como terrenos baldios ou ambientes que possam facilitar a proliferação do vetor. As denúncias podem ser feitas de segunda a sexta, das 8 às 17 horas. Também é denunciar por meio do endereço eletrônico https://sisvas.londrina.pr.gov.br/index.php/denuncias, a qualquer hora.

Compartilhe
Leia Também
Comente

3 Comments

  1. Antônio Carlos

    EA Ctd inventando cargo para bular a lei das Estatais.

  2. Geraldinho

    Uma pena o relapso do atual Prefeito com nossa Saúde.
    Vai entrar pra história como pior da história na área.

  3. Piveta

    Esse Governo do atual Prefeito está muito bagunçado. Talvez fosse o caso de cassação. Mas, tem levar o vice junto, não por desonestidade, é fraco.

    Talvez dar espaço e oportunidade ao jovem presidente da Câmara Municipal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar
Anúncios
Paçocast
Anúncios