Servidores da agropecuária do Paraná podem entrar em greve

CARTA ABERTA AO GOVERNADOR

Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná IAPAR/EMATER – IDR-PARANÁ
Comissão de Servidores Ativos e Inativos

O Governador do Estado do Paraná Carlos Massa Ratinho Jr. recebeu em mãos, no último dia 04 de fevereiro, a Carta Aberta dos servidores do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná IDR-Paraná.
Na carta os servidores pontuam a importância do Instituto e também a grave crise pela qual passa a Instituição.
O Governador, empenhou sua palavra de que resolveria a situação e propôs agendar uma audiência onde convocará a Equipe Técnica que está elaborando a proposta do Plano de Carreira.
Porém, na data de ontem (08/02), os servidores foram surpreendidos com uma nova versão da proposta do Plano que ao invés de melhorar a carreira simplesmente piora a vida de todos.
A grosso modo a nova versão da proposta é uma afronta à boa administração pública e causa uma dissonância com o que foi dito pelo Governador e os Elaboradores da proposta, pois, destrói a Carreira Técnico Científica e também dos Auxiliares do Instituto.
O sentimento de indignação e revolta por parte da maioria dos servidores se agrava à medida em que a cada mudança na proposta percebe-se a intenção de prejudicar ainda mais o Instituto.
Nesse sentido, conclamamos toda sociedade paranaense: mídia, agricultores, cooperados, consumidores, representantes e administradores públicos para que nos ajude a superar essa crise.
Confiamos na palavra empenhada pelo Governador e na urgência da audiência sugerida por ele para solucionar essa grave crise.
Londrina, 09 de fevereiro de 2022.
Comissão de Servidores Ativos e Inativos.

Leia Também

Fachin diz que quem trata da eleição são as 'forças desarmadas'

do G1 O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, disse nesta quinta-feira (12) que...

O Partido Republicanos convida

O vice de Requião

Do Zé Beto Com dificuldades em encontrar um candidato a vice que dê condições para...

Comente!

guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Genildo
Genildo
3 meses atrás

Serei o mais objetivo possível:
Ratinho Jr foi eleito no primeiro turno graças ao empenho de servidores públicos do Estado, simpatizantes de Bolsonaro e simpatizantes do Rato pai e isso é fato já que sempre foi medíocre como secretário e como deputado.
Durante sua gestão traiu os servidores não cumprindo o que qualquer outro administrador público é obrigado a cumprir, leis que existiam quando se candidatou e ele sabia delas até por que as defendeu quando deputado,sucateou instituições, nunca dialogou, sempre foi autoritário e arrogante além de administrar de forma medíocre o Estado, sempre dando prioridade para atitudes eleitoreiras, nunca ligando para o povo paranaense. Suas atitudes refletirão negativamente aos próximos governadores já que várias ações judiciais já foram julgadas dando ganho de causa aos servidores e estes aguardam apenas o transitado e julgado, mas no dia 2 de fevereiro o Governo, mais uma vez, entrou com embargos declaratórios de caratér meramente protelatório. A conta vai chegar, cedo ou tarde, e uma das consequencias não é só perder os votos de servidores e familiares, o maior problema é que Ratinho Jr conseguiu perder mais de 300 mil cabos eleitorais o que significa segunto turno garantido e fortalecimento de qualquer outro que se candidate ao cargo e a cada novo candidato, alguns milhares de votos são perdidos.
Outro fato é que nestas eleições, Ratinho Jr. terá que dar palanque a Lula, hoje mesmo tornou-se público que Lula confirmou que precisará do apoio de Kassab já para o primeiro turno e para 2022 não existe opção de neutralidade para Ratinho Jr.
Ele sabe de seus erros, ele sabe que sua reeleição esta seriamente ameaçada, ele sabe que o sustenta são ações eleitoreiras mas que quando começar a campanha tudo tende a ruir.
Li em outro post que Belinati tem viajado pelo Estado palestrando sobre a boa forma de administração do PP. Que coisa né….será que o PP abrirá mão de tentar administrar a maior “empresa” do Estado nesse momento de fraqueza da atual gestão?