Ex-procurador quer voltar a dar as cartas

Zé Beto/ Do correspondente em Brasília:

Paulo Schimdt, ex-procurador geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva da CBF, que por 10 anos ocupou espaço na imprensa nacional como o homem forte do futebol, caiu após muitos escândalos. Agora, após ser denunciado pela imprensa esportiva por estruturar sua atuação descarada a favor da CBF, com prova por emails, ter recebido por sua assessoria à Confederação de Basquete, participado do esquema de ingressos na Copa do Mundo, perdido a confiança dos clubes que pedem a sua saída, ter apoiado abertamente a candidatura do derrotado coxa-branca Ricardo Gomyde à presidência da Federação Paranaense de Futebol, ele quer ocupar vaga no Tribunal de Justiça Desportiva no Paraná, através da OAB do Paraná. São duas vagas a serem preenchidas pelo Conselho Pleno da entidade no próximo dia 8. Rebaixado no Direito Esportivo nacional , ele quer o apoio da seção paranaense para ainda ser um conferencista remunerado na área. Simpels assim. Será que a OAB do Paraná vai cair nessa? Para refrescar a memória, confiram:

http://migre.me/ugkjV http://migre.me/ugk4c http://migre.me/ugk57 “Você já deve ter ouvido falar de Paulo Schmitt, o procurador-geral do STJD, em assuntos relacionados ao futebol. O que provavelmente não sabe é que ele reina soberano no basquete. Ganha R$ 35 mil mensais para prestar assessoria jurídica para a CBB. E, desde o ano passado, está invicto: venceu as seis licitações – em todas, superou as mesmas duas empresas concorrentes, ambas de pessoas muito ligadas a ele-, para prestar assessoria jurídica para a CBB em convênios com o Ministério do Esporte.”

Mais: http://migre.me/ugk71 http://migre.me/ugk7t http://migre.me/ugk7V http://migre.me/ugk8e http://migre.me/ugkbV

Deixe uma resposta