A divisão dos lotes no governo Cida. Começou a festa

Do Contraponto/Celso Nascimento

A política repete a sequência da vida comum: primeiro o namoro, depois o noivado e, por fim, o casamento – com a diferença de que na política prevalece a poligamia. Dá-se na mesma sequência e com resultado poligâmico a montagem da equipe do governo Cida Borghetti, candidata à reeleição.

Primeiro, houve o namoro com tantos partidos quantos fosse possível. Como o poder de sedução de quem está prestes a assumir o governo é enorme, aceitaram prontamente a namorar e trocar os primeiros beijos o PSDB, o DEM, o PTB, o PPS e uma penca de outros partidos menores.

Empossada no cargo de governadora, Cida (com a prestimosa e eficiente ajuda do marido, Ricardo Barros) chamou-os para a festa de noivado, dando-lhes nacos de poder na estrutura administrativa e política do estado. Passam agora a andar de mãos dadas e em público.

Tanto quanto se sabe até agora, a divisão dos dotes da noiva está no seguinte pé:

DEM: fica com a secretaria de Infra-Estrutura e Logística, tendo como titular o ex-deputado e atual presidente da Cohapar Abelardo Lupion. Mantém a Cohapar, que deverá ser ocupada por um indicado do deputado Nelson Justus;

PSB: mantém a secretaria da Justiça e Cidadania, ganha a secretaria da Agricultura, a diretoria do Detran e a presidência da Compagás;

PSDB: mantém a presidência e algumas importantes diretorias da Copel e da Sanepar, as duas joias da coroa entre as estatais, com indicados do grupo de Beto Richa. Para a Copel já estaria definido o nome do presidente, Jonel Iurk, empresário com interesses no setor de PCHs e já ocupante de uma diretoria da companhia;

PPS: mantém a secretaria de Esporte e Turismo;

PTB: foi escolhido para preencher a secretaria da Educação (já nomeada a londrinense professora Lúcia Aparecida Cortez Martins) e o cargo de presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). O nome mais cotado para a Appa é, por enquanto, Carlos Roberto Frísoli. Nos dois casos as indicações são pessoais do presidente estadual do partido, deputado Alex Canziani.

Consolidado este noivado, o casamento será celebrado quando todos os partidos realizarem suas convenções, lá pelo final de julho, e oficializarem a grande aliança em torno da candidatura de Cida Borghetti.

2 comentários em “A divisão dos lotes no governo Cida. Começou a festa

  • 19/04/2018, 21:02 em 21:02
    Permalink

    Não tem problema: ela não é do PT!

    Resposta
  • 20/04/2018, 06:42 em 06:42
    Permalink

    vamos aposentar toda esta gente com gosto.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: