A politização da cloroquina

Em seu quinto pronunciamento  durante a crise do coronavírus, Bolsonaro voltou a fazer críticas, desta vez veladas, aos governadores e prefeitos que impuseram medidas de isolamento e defendeu com veemência o uso da cloroquina, mesmo que ainda não exista comprovação científica da eficácia do medicamento contra a Covid-19. O presidente tem insistido no tema e arrastou para a discussão o infectologista David Uip, da equipe do desafeto João Doria. Bolsonaro e aliados insinuam que o médico, que contraiu o vírus e está curado, usou o remédio no tratamento. O presidente apelou até para o juramento de Hipócrates para cobrar o profissional. Uip, por sua vez, reclamou de invasão de privacidade e pediu respeito à sua decisão de não revelar se tomou ou não a cloroquina. Enquanto os estudos avançam, o debate político em torno do medicamento continua.

Da Veja

Deixe uma resposta