A Sercomtel está na Folha de São Paulo

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) concedeu um mês para que a Sercomtel, operadora da região de Londrina (PR), apresente um plano de reestruturação e evite o cancelamento de seu contrato de concessão.

“Hoje, a intervenção na operadora já seria inócua”, afirmou o presidente da Anatel, Juarez Quadros.

A decisão ocorre no momento em que a agência tentar tirar a Oi, maior concessionária do país, da recuperação judicial com uma dívida de R$ 64,5 bilhões.

A Sercomtel é uma operadora controlada pela prefeitura de Londrina (56% das ações com voto), que tem como sócia a distribuidora de energia Copel (44%).

A empresa atua em 15 localidades na região paranaense e tem cerca de 265 mil linhas fixas ativas. Além da telefonia fixa (serviço sob concessão), a companhia presta serviços de celular e internet. O cancelamento do contrato de concessão da Sercomtel seria a forma mais rápida de corrigir os anos de omissão da Anatel, que não tomou providências para sanar irregularidades apontadas pela área técnica da própria agência nos últimos anos.

Um relatório de 2008 já mostrava irregularidades na contabilidade da empresa. Nada foi feito e, desde então, a empresa vem acumulando sucessivos prejuízos.

Hoje, sua dívida é de R$ 143 milhões. O patrimônio, de R$ 74 milhões.

De acordo com o documento da Anatel, entre 2000 e 2007, a Sercomtel teria maquiado seu balanço para distribuir dividendos. Além disso, teria a receber cerca de R$ 24 milhões por um empréstimo registrado em balanço à prefeitura de Londrina que o atual prefeito, Marcelo Belinati (PP-PR), nega existir.

Entre 2003 e 2006, a empresa foi comandada por João Rezende, amigo e ex-chefe de gabinete do ex-ministro Paulo Bernardo, no Ministério do Planejamento.

Uma reforma ministerial conduziu Bernardo ao Ministério das Comunicações e, em 2009, Rezende foi então indicado para o conselho diretor da Anatel. Dois anos depois, foi nomeado presidente da agência, cargo que ocupou entre 2011 e 2016.

Quadros assumiu a presidência da Anatel em setembro e, emjunho, a agência submeteu a Sercomtel ao regime de vigilância permanente. Os técnicos monitoram vendas, despesas e a qualidade operacional em busca de sinais de insolvência.

No ano passado, a operadora terminou com um prejuízo de R$ 20,9 milhões e receitas de R$ 162 milhões.

OUTRO LADO

Por meio de sua assessoria, a Sercomtel informou que a diretoria atual assumiu há cinco meses e vai apresentar o plano no prazo previsto. Um novo parceiro estratégico pode ser apresentado como forma de salvar a empresa.

Desde março, medidas emergenciais foram tomadas como a cortes e renegociação de contratos com fornecedores. A nova diretoria ainda tenta avaliar os balanços passados. Muitas recomendações da Anatel não foram cumpridas desde 2009 e, especialmente, a partir de 2012, quando foram feitas recomendações para o equilíbrio financeiro da empresa, como a venda de empresas.

 

19 thoughts on “A Sercomtel está na Folha de São Paulo

  • 21/06/2017, 13:32 em 13:32
    Permalink

    O Prefeito se achava na campanha, o melhor e mais preparado, sabia onde estava o dinheiro e conhecia o caminho das pedras, nos vivemos agora veremos.

    Resposta
  • 21/06/2017, 14:07 em 14:07
    Permalink

    bom, telefone fixo, quem usa hj em dia? só comercio e olhe lá… sercomtel só oferece 5mb de internet no meu bairro, mudei pra NET por 25mb. Começa a investir em internet de qualidade e com planos exclusivos, sem amarração com telefonia, vende a parte celular e faz o diferencial pra tentar se salvar

    Resposta
    • 21/06/2017, 15:52 em 15:52
      Permalink

      Quem vai querer a Sercomtel Celular? Só se aparecer um doido varrido. O tempo de venda da Sercomtel Celular venceu há muito tempo…

      Resposta
      • 26/06/2017, 14:38 em 14:38
        Permalink

        Querido, um pouquinho mais de informação pra vc: a Sercomtel Celular já não existe há muito tempo… foi incorporada pela fixa, salvo engano, em 2013. kkkk

        Resposta
  • 21/06/2017, 16:16 em 16:16
    Permalink

    Pelo jeito o relatório da Anatel de 2008, foi e é uma fonte de informações que deveria ser aplicado na empresa na época, contém considerações e recomendações. Acredito que o objetivo era corrigir e sanear as irregularidades encontradas. A pergunta que não pode se calar:

    – Nas administrações anteriores, após tomar conhecimento do relatório, o que fizeram e quais as ações foram tomadas?
    – Na atual administração de posse do relatório a 5 (cinco) meses, o que fizeram e quais as ações já tomadas?
    – O que foi feito nas administrações de 2000 ate 2007 para maquiar o balanço e porque?
    – Houve prevaricação nas administrações no período de 2000 a 2007?
    – Houve omissão nas administrações ao receber o relatório?

    Precisa, ser averiguado e apurado, responsabilizar se for o caso administrativa e penal os gestores públicos da época.

    Resposta
    • 21/06/2017, 21:57 em 21:57
      Permalink

      Vamos simplificar. Até 2008 as irregularidades na contabilidade da empresa já eram bem conhecidas. Que tal os órgãos responsáveis apurarem as irregularidades, que não pararam de acontecer segundo a notícia da Folha de SP, ocorridas entre 2008 e 2017? Doa a quem doer, mesmo que o paciente pertença ao SNI…

      Resposta
      • 22/06/2017, 23:32 em 23:32
        Permalink

        Vieira, SNI era no tempo da ditadura militar. Na ditadura Temer/PSDB/Moro/Globo quem vigia a gente é a Adin.

        Resposta
        • 25/06/2017, 17:49 em 17:49
          Permalink

          Adin é Ação Direta de Inconstitucionalidade, se você se referia ao órgão de inteligência governamental é ABIN, Agência Nacional de Inteligência.

          Resposta
  • 21/06/2017, 16:31 em 16:31
    Permalink

    Que história é essa de que a Sercomtel emprestou R$ 24 milhões (Caraca! É muito dinheiro! Dá pra encher 48 malas do Rocha Loures!) para a prefeitura e o atual prefeito não reconhece essa dívida? Que tal o Ministério Pública averiguar essa pinimba entre Sercomtel X Marcelo. Ou, que tal o Paçoca ir averiguar na Sercomtel quando essa dívida foi feita, se o dinheiro saiu em cash, se a Sercomtel pagou serviços para a prefeitura, que serviços foram esses… Aí tem. Alguém duvida? R$ 24 milhões não evaporam no ar. Como na história do Rocha Loures, vai que as 48 malas de dinheiro existem e devem ser devolvidas para a Sercomtel…

    Resposta
    • 21/06/2017, 21:52 em 21:52
      Permalink

      Interessante isso aí. R$ 24 milhões saíram do caixa da Sercomtel. A Sercomtel diz que foi para a prefeitura. A prefeitura diz que não. Será que a polícia não poderia ajudar a descobrir aonde foi parar esse dinheiro?

      Resposta
  • 21/06/2017, 22:02 em 22:02
    Permalink

    Kkkk! Belinati sofrendo as consequências do que o outro Belinati fez lá atrás, em 1998! Os 186 milhões de reais da parte vendida pra Copel, cadê? Ninguém sabe, ninguém viu! Em valores corrigidos, passa de 2 bilhões de reais! Daria pra Sercomtel estar tinindo, se essa grana não tivesse sumido! Que será que aconteceu, heim?!

    Resposta
  • 22/06/2017, 08:21 em 08:21
    Permalink

    Adati: do Imin para o Sónimin?

    Resposta
  • 22/06/2017, 08:49 em 08:49
    Permalink

    Até que enfim fizeram uma matéria decente sobre a situação da Sercomtel. Pq aquele jornalista da Folha de Londrina, barbunho e metido a sindicalista (é comunista e amigo daquele outro metido a anti esquerdista ?????), nâo sabe bosta nenhuma de economia. O Adati enfiou um monte de dados nele e usou o espertao. Tomara que esse impresso feche logo as portas

    Resposta
  • 22/06/2017, 10:04 em 10:04
    Permalink

    Será que vai aparecer algum vereador propondo a CPI dos R$ 24 milhões?!?

    Resposta
    • 26/06/2017, 11:20 em 11:20
      Permalink

      Duvido, estão todos no colo do Canhada, o prefeito de fato e fiel escudeiro do Canziani, o deputado e ex-vice prefeito de Antonio, o Belinati 1º. O próprio PSD do ex-prefeito e ex-pessedista Kireeff já reza a cartilha belinatista, não diz não ao Belinati 2º, não questiona, não cobra, não pergunta, não se mexe, e o vereador do partido, bem fraquinho na atuação parlamentar diga-se de passagem, adora aparecer nas fotos ladeando o Belinati 2º. Os tucanos de onde esperava-se alguma oposição ao menos crítica mostram que são Belinati desde 2012, quando abraçaram a vice e não levaram a eleição. O PSC que coligou com o Orsi mas não pediu votos pro tucano, hoje é líder do Belinati 2º na Câmara, espertos empregaram o filho do apresentador Carlos Camargo na Câmara, no gabinete da liderança do prefeito e com isso garantem a amizade do fervoroso apresentador da Rede Rato Massa. O PDT tem seu expoente com cargo na CAPSMEL, o PV é Belinati desde pequenininho. Os demais partidecos estão contemplados na administração. O PT que teve uma vereadora atuante, a Lenir, sumiu da vida política da cidade devido ao cenário caótico estadual e nacional.
      Resumo da ópera: não tem oposição em Londrina nem pra questionar, quem dirá pra tomar alguma atitude mais firme ou contestadora. Restou tão somente o MP para fiscalizar, pois até o Observatório de Gestão Pública foi aparelhado com a nomeação do seu ex-presidente na prefeitura.
      Saudade tenho dos tempos de Elza Correia vereadora, ela sim faz falta nessa Câmara de Londrina que custo muito caro e pouco produz para a cidade, com certeza a Elza colocaria os pingos no is. Triste para uma cidade que há tanto lutou pela redemocratização do Brasil e dela saíram grandes nomes para a política nacional.

      Resposta
  • 22/06/2017, 17:27 em 17:27
    Permalink

    Uma empresa que esta nesta situação mantem na Sercomtel Contact Center 3 chefias (Presidente, Diretor Financeiro e Diretor Operacional) no salário de R$16.000,00 cada um??????? Pagos por quem????? Pra quem quer sair do buraco tem que cortar gastos e não ficar mantendo cargos desnecessário. Uma empresa pequena precisa realmente de 3 diretores???????

    Resposta
  • 23/06/2017, 13:13 em 13:13
    Permalink

    Pior exemplo de estratégia que a CONTAC CENTER, e o braço da tal de PARTICIPAÇÕES. Schineider defendeu Com unhas e dentes sua criação, cuja função séria, veja bem, seria, prospectar novos negócios para a SERCOMTEL. Três anos depois o que aconteceu chorão? A empresa se limita a administrar os recursos que advém da mensalidade dos provedores. E o seu organograma é uma piada, só tem presidente, diretor, gerentes, cordenadores e estagiárias. Pelo menos a empresa é enxuta heim?

    Resposta
  • 26/06/2017, 10:39 em 10:39
    Permalink

    Pelo que percebo uma das características da administração do atual prefeito é geração de cargos, tenho conhecimento que a Ask/Sercomtel Contact Center por várias administrações sempre tiveram 2 diretores. Porque aumentou para 3 neste momento de crise? A empresa está com dinheiro sobrando?

    A estratégia de criação da Ask/Sercomtel Contact Center não foi errada, na maioria das empresas de Telecom, possuem em seu grupo empresas de Call Center, o problema da ASK sempre foi ter administração política sem compromisso com a gestão pública, parceria equivocadas que trouxeram prejuízos consideráveis à empresa. Pergunta: alguém foi responsabilizado pelos prejuízos causados na ASK/Sercomtel Contact Center por administrações temerárias?

    Quanto a Participações, de fato é um absurdo possuir uma estrutura de diretoria. Isso é para garantir promessas de cargos. Na situação que se encontra a Sercomtel Telecom deveria extinguir essa empresa de Participação e voltar o que era no passado, apenas uma diretoria.

    Como pode o prefeito permitir o que está acontecendo, pregou na sua campanha austeridade com a coisa pública!

    Será que isso está acontecendo?

    Resposta
  • 26/06/2017, 10:51 em 10:51
    Permalink

    Acredito que é obrigação da Sercomtel Telecomunicação divulgar nos jornais, os números dos indicadores “qualidade operacional” dos últimos 2 anos que estão sendo monitorados pela equipe técnica da Anatel, afim de tranquilizar e demonstrar que não existe sinais de insolvência.

    Outro ponto preocupante é o que a atual diretoria da Sercomtel informou “que pode ser apresentado um novo parceiro estratégico como forma de salvar a empresa.”.

    O que envolve essa parceria? Quem são as pessoas que estão negociando a parceria? Conhecem de Telecom, de mercado, de tecnologia? O estranho é fazer uma parceria sem que haja “due diligence”. Está na hora dos acionistas contratar uma empresa especializada em auditoria e processo de investigação do negócio para avaliar os riscos da transação e qual o real valor da empresa.

    Essa nova parceria será boa para quem? Devemos ter cuidados redobrado, para que não enseja no mesmo erro do passado com Ask/Sercomtel Contact Center, o parceiro causou prejuízo e depois desistiu da compra. Para haver transparência é bom envolver a Anatel e o MP nas negociações. Isso ocorrerá?

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: