Advogado protocola defesa de vereador Rony Alves, afastado pela Justiça

Os advogados do vereador de Londrina, Rony Alves, afastado das funções pela Justiça, protocolou a defesa dele na Câmara, na sexta-feira. Os vereadores Alves e Mário Takahashi são acusados pelo Ministério Publico e participarem de um esquema para receber propina em troca de mudanças de zoneamento na cidade.

Segundo o advogado Mauricio Carneiro, a argumentação busca demonstrar “os equívocos cometidos pelo Ministério Público, bem como pelo vereador Filipe Barros, que os acusa de forma precipitada, apontando diversas nulidades no processamento e formação da Comissão Processante, a saber: (i) violação do art. 197 do Regimento Interno da Câmara, por serem alguns dos Vereadores Impedidos de votar; (ii) violação ao art. 30, § 2º do Código de Ética e Decoro Parlamentar, tendo em vista que o Vereador Representante, Filipe Barros, deveria ter sido afastado de suas funções, por integrar Mesa na Casa, desde o recebimento da denúncia, em 03/04/2018, conforme consta à fl. 606 do Processo; (iii) possível coação dos Vereadores Jairo Tamura, Roque Neto, João Martins e Emanuel Gomes, em razão da convocação realizada pelo órgão ministerial na manhã do dia 17/04/2018, que, não por coincidência, ocorreu no dia da votação; (iv) impedimento de todos os Vereadores da Casa na votação final acerca do caso em mesa, tendo em vista que são alvos de investigação pelo Ministério Público do Estado do Paraná acerca de uma suposta troca de favores entre Legislativo e Executivo para que não fosse aberta a Comissão Processante.
Atacamos cada item dentro do processo e mostramos que não há, em momento algum, envolvimento do vereador Rony Alves em conduta incompatível com o decoro parlamentar. Além disso, deixamos claro para os Vereadores, membros da Comissão Processante, que o acusador não traz uma única prova sólida, nem mesmo indícios de provas, absolutamente nada, de que ele teria solicitado ou recebido propina. É de se espantar que mudaram a lógica constitucional. Ao invés de os acusadores trazerem as provas contra o Rony é ele que está tendo que provar sua inocência em um processo totalmente equivocado e sem provas.
Das 23 pessoas ouvidas pelo MP, nenhuma trouxe uma prova mínima, um indício mínimo sequer, que incriminasse o Vereador. Ao contrário, duas permaneceram em silêncio e outras duas afirmaram, categoricamente, que Rony Alves nunca solicitou e nem recebeu propina. Um deles, Wagner Fronja, chega a admitir ao Promotor que mentiu sobre o Professor Rony Alves. O Promotor, porém, ignorou esse fato importante.

3 comentários em “Advogado protocola defesa de vereador Rony Alves, afastado pela Justiça

  • 14/05/2018, 18:25 em 18:25
    Permalink

    vereadores recolham a sua significancia pois não dormiram em presidio ainda, isto e afronto com o povo serio de londrina.

    Resposta
  • 14/05/2018, 21:30 em 21:30
    Permalink

    Em vez de se defenderem e provarem sua inocência, gastam energia em recursos tolos, protelatórios para impugnar e desqualificar as denúncias do MP. seguinte Rony e Takarachi, qdo os homens oferecem as denúncias e chamam o neguinho pra conversar, só resta uma saída: Provar por Á + B que sao inocentes, que é perseguição política, intriga da oposição, ciúmes , inveja do trabalho magnifico que estão fazendo pela comunidade, pela cidade de Londrina, Como já dizia minha avó, mentira tem perna curta. Aproveito para mandar um recado para o ex-padre, Mexe esse corpinho cara , sai dessa INÉRCIA , faz alguma coisa de útil, já dá pra perceber que está querendo proteger os dois corruptos.

    Resposta
  • 14/05/2018, 22:32 em 22:32
    Permalink

    Cara, não entendo vereador que quer cassar companheiro acusado por promotor mas convive numa boa com vereador já condenado por juiz! Muito estranho…

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: