Alunos da PUC Londrina reclamam

Do leitor

Os alunos da PUC Londrina que iniciarão o internato, alguns atendendo no pronto socorro do Evangélico estão sem vacinação da covid-19, o risco dos 35 alunos é proporcional ao desinteresse e falta de comando da PUC que julga o internato (um requisito para quem quer ser médico) como uma atividade “facultativa” e exige um termo de responsabilidade destes alunos, e nada fez para a solução do problema.

O descaso da representação estudantil relativa ao internato é o mesmo, é como se já tivessem tomado a vacina, e os colegas não interessam. O Secretário de Saúde de Londrina foi até a faculdade e se comprometeu a vacinar os alunos com a primeira dose, no dia inicial do internato, dia 12 de abril, contudo é sabido que a coronavac, que será aplicada, atinge a imunidade 15 dias após a segunda dose, sendo assim os alunos serão colocados em local de risco, sem a devida cautela daí se pergunta: “Se fosse seu filho Sr. Prefeito, o Senhor aceitaria? Se acontecer o pior, quem vai responder por isso?”

Deixe uma resposta