“Ano mais difícil da minha gestão”, diz Kireeff

O prefeito Alexandre Kireeff (PSD) disse que o ano de 2016 foi o ano mais difícil do governo dele. Neste ano ele teve que aplicar medidas como o corte de horas extras e licenças premium dos servidores, além de suspender obras previstas para o segundo semestre e também o corte de até 30% no número de cargos comissionados. Segundo a administração, isso aconteceu porque a cidade arrecadou R$ 43 milhões a menos, do que o previsto em orçamento no primeiro semestre. A arrecadação do IPTU caiu em 20%.

4 thoughts on ““Ano mais difícil da minha gestão”, diz Kireeff

  • 21/07/2016, 17:45 em 17:45
    Permalink

    Servidor Penalizado
    Há quem diga que, burocracia é a arte de converter o fácil em difícil por meio do inútil. Dia 01 deste, o prefeito Kireeff assinou o decreto 768, que regulamenta através de pericia oficial do município a licença médica, direito de qualquer trabalhador. Quero crer, que, tal regulamentação, seja um desdobramento daquele caso em que médicos ausentavam-se de seus plantões e trabalhavam em outros locais com apresentações de atestados para justificar suas ausências. Ocorre que, segundo o corregedor-geral do município ,Alexandre Alberto Trannim “a corregedoria sempre faz o levantamento de ausências justificadas por atestado.” Ora, se é assim, porque então baixar um decreto imperial, para regulamentar tal matéria? É de uma desnecessidade e, de um desperdício de tempo, e, de recursos, que beira o absurdo! Como não enxergar o óbvio, centralizar todas as licenças médicas do servidor para cuidar da sua própria saúde, através de pericia oficial, vai transformar a unidade de medicina do trabalho do município, numa lata de sardinhas. Ademais, se a corregedoria vem fazendo seu trabalho a contento, de modo à ‘pegar’ servidores em sua malha fiscalizatória, porque, então, penalizar toda à classe de servidores municipais?

    Resposta
  • 21/07/2016, 19:42 em 19:42
    Permalink

    É nas crises que vemos os grandes administradores que não é o nosso caso. O que de fato levou as finanças para a ruína, são decisões equivocadas: subsídio, cargos comissionados aos montes, empréstimos ao invés de projetos para captar recursos e por aí vai. Pratica antagônica ao discurso que fizeram o povo de londrina acreditar

    Resposta
  • 22/07/2016, 13:44 em 13:44
    Permalink

    TOMARA QUE A GESTAÇÃO NÃO TERMINE NUM PARTO ENTALADO.

    Resposta
  • 22/07/2016, 16:00 em 16:00
    Permalink

    Difícil mesmo vai ser o primeiro ano do próximo prefeito. Vai ter de pagar até 13o. atrasado!

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: