As vigas de concreto da discórdia: NOTA OFICIAL da Prefeitura de Londrina

Com relação ao destino das vigas da ponte ruída na Rodovia Mábio Palhano, importante esclarecer que o contrato assinado pela administração anterior da Prefeitura com a construtora IACON (responsável pelas obras) previa que seria da própria construtora a responsabilidade por recolher os entulhos (inclusive as vigas danificadas) e dar sua destinação final.  

Cabe ainda ressaltar que o laudo emitido pela IACON em 16 de fevereiro de 2017, assinado pelo engenheiro Elias Abdo Filho, informa que “as vigas remanescentes da enchente de janeiro/2016 não são passíveis de reaproveitamento”. E que “portanto, as mesmas não oferecem segurança para o seu reaproveitamento”.

Diante disso, a Prefeitura de Londrina entendeu adequado notificar extrajudicialmente a construtora responsável pela obra sobre a destinação dada às vigas, apresentando os relatórios e documentos que comprovem a sua destinação adequada, conforme consta nas cláusulas contratuais com o Município.

2 thoughts on “As vigas de concreto da discórdia: NOTA OFICIAL da Prefeitura de Londrina

  • 28/03/2017, 14:14 em 14:14
    Permalink

    Isso é improbidade administrativa. Alô Gaeco, vai pra cima!

    Resposta
  • 28/03/2017, 17:23 em 17:23
    Permalink

    https://www.pacocacomcebola.com.br/geral/demorou-muito-mas-enfim-algumas-condenacoes-do-caso-ama-comurb-comecam-a-aparecer/

    Quase 18 anos se passaram para que as primeiras decisões penais saissem no escândalo Ama Comurb de 1998, e que levou à prisão em 2000 o deputado aposentado Antonio Casemiro Belinati, quando prefeito de Londrina. Como ex prefeito foi beneficiado por ter mais de 70 anos e sua pena prescrever (como outros envolvidos), mas dois foram condenados pelo judiciário no norte do Paraná – o ex secretário de Obras Eduardo Alonso de Oliveira e o curitibano Ivano Abdo, dono das empreiteiras IASIN (sinalização) e IACON (pavimentação asfáltica) – http://migre.me/tzyzL

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: