Assessores da vereadora presa confirmam “rachadinha”

do Fabio Campana

Ex-funcionários da vereadora Fabiane Rosa (PSD) na Câmara Municipal de Curitiba confirmaram, em depoimento ao Ministério Público (MP) que repassavam parte do salário a ela em dinheiro, e também pagavam contas pessoais da parlamentar, no suposto esquema de “rachadinha”. As informações são da RPC TV.

De acordo com a reportagem, Pelo menos três ex-funcionários, um homem e duas mulheres, disseram ao MP que participaram do esquema entre 2016 e 2018. E que no segundo semestre de 2017, ela passou a comentar que outros vereadores recebiam parte dos salários de seus servidores.

Segundo os relatos ao MP, em fevereiro de 2018, duas assessoras foram chamadas para uma reunião em frente à casa da vereadora, que foi gravada. Na gravação repassada à promotoria, ela teria pedido o repasse de parte dos salários delas.

“Vocês que têm os salários maiores do gabinete, eu quero pedir que vocês colaborem com um valor todo mês porque eu não tenho o que fazer, não tenho o que fazer”, teria dito Fabiane. “Me admira você falar isso, porque sua fala era totalmente contra. Agora é normal?”, questionou uma das assessoras. “Não é normal, mas é a causa, pois é mais é a causa”, teria alegado a parlamentar. “Não é normal, é corrupção, não é nornal”, rebateu a funcionária. “Isso é a causa né”, repetiu a vereadora. “Não é a causa. Você está pedindo para você”, afirmou a assessora.

(leia mais)

2 thoughts on “Assessores da vereadora presa confirmam “rachadinha”

  • 04/08/2020, 20:06 em 20:06
    Permalink

    Paçoca será que o Flávio BOLSONARO está fazendo rachadinha no Senado?

    Resposta
  • 04/08/2020, 20:37 em 20:37
    Permalink

    É com uma notícia dessa que a gente pode entender melhor como a sociedade brasileira se organiza, ou melhor, quais as castas a que os brasileiros pertencem. Em síntese, podemos agrupar os brasileiros em duas castas: a dos costas quentes (ou cidadão não) e a dos sem costas quentes (só cidadão). No caso, a vereadora faz parte do grupo sem costas quentes; por isso tá em cana. Já um senador acusado do mesmo crime teve meteórica ascensão social e passou a fazer parte do grupo dos que têm costas quentes (cidadão não, filho do PR) e cana pra ele nem pensar.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: