Boa notícia: pesquisadores brasileiros começam a fazer testes com novo medicamento contra o coronavirus

Da Revista Exame

Pesquisadores brasileiros irão começar os testes em pacientes de um medicamento que, nos testes in vitro, demostrou ter 93,4% de eficácia em combater a infecção causada pelo novo coronavírus Sars-Cov-2. A informação foi divulgada nesta quarta-feira, 15, pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC).

Segundo o Ministério, serão testados cerca de 500 pacientes em cinco hospitais militares no Rio de Janeiro, em um hospital em São Paulo e em um hospital em Brasília.

O nome do medicamento é mantido em sigilo para evitar uma corrida às farmácias. Segundo o MCTIC, se trata de um medicamento já conhecido e comercializado. Ele tem baixo custo e é encontrado amplamente em todo o território brasileiro. O medicamento também não causa efeitos colaterais graves, ao contrário de outros remédios em estudo contra o novo coronavírus, de acordo com o ministério.

“Temos boas perspectivas que os resultados dessa pesquisa possam ser positivos e assim poderemos ajudar não só o Brasil, como outros países no combate à covid-19”, disse o ministro Marcos Pontes, do MCTIC, em comunicado.

Leia Também

MP prende seis pessoas envolvidas em crime de corrupção no Paraá

do MP PR O Ministério Público do Paraná, por meio dos núcleos de Guarapuava do...

Debate sobre intolerância religiosa

Aberta ao público, ação será no Terreiro Manoel de Umbanda, às 17 horas, e integra...

Virou depósito de lixo?

E olhando aqui pra terrinha, circula pela internet a foto abaixo. É da antiga Biblioteca...

Comente!

guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Satanás
Satanás
2 anos atrás

O ministro astronauta veio correndo ajudar o Bolsonaro diante da crise no Ministério da Saúde. O especialista em virologia, o bol$sonari$ta Datena, também levou a boa “notícia” para seu programa televisivo. A gente torce pra ser verdade. Mas qualquer babaca sabe que in vitro até o coronavírus morre fácil: de pimenta malagueta, vodka paraguaia, fumaça de cigarro contrabandeado, até de munição para airsoft se o pesquisador for bom de mira. In vivo são outros quinhentos… Pelo jeito, o ministro astronauta lançou ontem a versão cloroquina 2.

Alisson
Alisson
2 anos atrás

Ridículo, vão usar pacientes de cobaia para algo que nenhum lugar do mundo usa, e nem a cobaia nem o próprio médico poderão saber do que se trata. De lunáticos só se pode esperar absurdos!

Devil
Devil
2 anos atrás

Piada pronta: um vermífugo chamado Annita. Os médicos dão Annita pro veinho. O veinho morre e é enterrado só com coronavírus, nada de lombriga.