Câmara mantém vetos de Dilma sobre o reajuste do Judiciário

Da Câmara Federal

O Congresso Nacional manteve oito vetos presidenciais a projetos de lei, entre os quais o que concedia reajuste de 78% aos servidores do Judiciário. Na votação mais acirrada da noite, a Câmara dos Deputados manteve o veto ao reajuste (PL 7920/14) por insuficiência de votos.

Para derrubá-lo, seriam necessários 257 votos na Câmara, mas foram registrados 251. Outros 132 deputados votaram a favor da manutenção do veto e 11 se abstiveram. Com o resultado, a matéria não foi analisada no Senado.

Segundo o governo, o reajuste teria impacto financeiro de R$ 27,5 bilhões aos cofres públicos nos próximos quatro anos e, depois disso, mais de R$ 10 bilhões por ano. O Executivo argumentou que a medida é “contrária aos esforços necessários para o equilíbrio fiscal”.

esde julho, quando a correção salarial foi vetada, servidores do Judiciário protestam em frente ao prédio do Congresso pela derrubada do veto a cada sessão convocada. De acordo com as lideranças do movimento dos servidores do Judiciário, eles estão sem aumento há nove anos. Esse número, no entanto, foi contestado por deputados da base do governo.

“Servidores têm insistido em dizer que, em nove anos, não recebem reajuste, mas, entre 2013 e 2015, tiveram reajuste médio de 23% a 29% fruto de uma Gratificação de Atividade Judiciária”, afirmou o deputado Paulo Pimenta (PT-RS). Ele chegou a ser interrompido por vaias das galerias.

(Leia mais)

Deixe uma resposta