Colher de Chá: Exposição Fotográfica

Neste sábado e domingo, dias 7 e 8, moradores de Londrina e região terão a chance de observar a realidade pelos olhos das crianças e adolescentes do Residencial Flores do Campo, ocupação urbana situada na região norte da cidade. Isso porque o grupo de fotografia analógica FotoFlores – formado por meninos e meninas com idades entre 10 e 15 anos moradores do local – realizará a sua primeira exposição fotográfica. O evento está programado para ocorrer do meio-dia às 18h, no barracão utilizado como centro comunitário do bairro. A entrada é gratuita, mas o público pode contribuir com donativos como arroz, feijão, macarrão, fubá, óleo, sal, café e açúcar. Os alimentos arrecadados serão repassados às famílias que vivem ali.

De acordo com o idealizador da equipe, o fotógrafo e advogado Gabriel Melhado, durante a mostra serão exibidas 42 fotos feitas em filme P&B e depois digitalizadas. A impressão, em papel algodão, ficou a cargo do printer Eduardo Haguio. A expografia e montagem da exposição foram concebidas pelas artistas visuais Laura Cristina e Letícia Koga, com participação e aprovação dos membros do grupo. Já a curadoria e seleção das imagens, como não poderia deixar de ser, foi feita pelos próprios autores.

A ideia de estrear a exposição dos pequenos fotógrafos no lugar onde vivem tem como objetivo valorizar os moradores do Flores do Campo, muitas vezes vistos com preconceito e tratados de forma estigmatizada por parte da mídia. Após este final de semana, no entanto, a proposta é que as fotografias estejam disponíveis para percorrer outros espaços públicos e particulares interessados em recebê-las. A concepção itinerante visa ampliar o público espectador, contribuindo, assim, para a produção de novas narrativas sobre o bairro.

Confraternização – Além da exibição das fotos, um almoço solidário promete movimentar a ocupação no domingo. A organização do evento, por meio de doações e com o apoio da Paróquia Santa Cruz, no conjunto Luiz de Sá, também na zona norte, vai oferecer à comunidade cerca de 400 porções de galinhada. Para isso, serão necessários entre 60 e 80 kg de frango. O­­­ preparo da iguaria – que será servida a partir das 12h, no bacarrão onde estarão dispostas as fotografias – será feito por voluntários e terá início ainda no sábado, no salão paroquial da igreja.

Campanha – Motivo de orgulho entre os participantes, a primeira exposição do FotoFlores tomou forma graças à colaboração de 88 apoiadores que doaram quantias entre R$ 15 e R$ 120 para a campanha de arrecadação do grupo. O financiamento coletivo, que ficou no ar durante 21 dias entre os meses de outubro e novembro, superou em quase 20% o valor previsto e chegou à marca de R$ R$ 7.180,00 angariados. Além de servir para a produção da mostra, a quantia vai garantir a continuidade do projeto através da aquisição de filmes fotográficos, químicos para revelação e outros equipamentos.

O FotoFlores iniciou suas atividades em abril deste ano e, desde então, seus integrantes fizeram mais de 1200 fotografias. Para tanto, as crianças e adolescentes realizaram atividades semanais na ocupação e em outros pontos da cidade. As ações, segundo Melhado, buscaram sempre o protagonismo dos integrantes e a criação de laços de solidariedade e pertencimento.

Serviço  

1ª Exposição FotoFlores

Sábado e domingo, dias 7 e 8 de dezembro, das 12h às 18h

Barracão do Residencial Flores do Campo 

(continuação da avenida Saul Elkind, no sentido Ibiporã, logo após a rotatória com a Angelina Ricci Vezozzo, nas proximidades da empresa Bemis)

Deixe uma resposta