Com gargalo de testes para coronavírus, Brasil vê só a ponta do iceberg com seus 2.201 casos e 46 mortes

do El PaísA street vendor sells hand sanitizer in downtown Sao Paulo, Brazil, on March 16, 2020. - The Sao Paulo stock exchange closed down 13.9 percent Monday and the Brazilian real closed below five to the dollar for the first time ever in further fallout from the coronavirus pandemic. (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP)

A limitação na realização de testes para confirmar os casos de coronavírus no Brasil dificulta a avaliação do quadro real da evolução da doença no país, que oficialmente tem 2.201 casos confirmados com 46 mortes. A quantidade de testes disponíveis atualmente é insuficiente para o tamanho da população brasileira, e o país precisou escolher quais casos priorizaria para usá-los. Se num primeiro momento pacientes com sintomas mais brandos de gripe conseguiam ser testados com mais facilidade, agora a recomendação tanto na rede pública quanto na privada é testar apenas os casos mais graves. Mesmo assim, a demanda aumentou tanto nas últimas semanas que o tempo entre a coleta e o resultado do teste também aumentou. Há relatos de pessoas que esperaram até sete dias para saber que tinham ou não a doença, um processo que, tecnicamente, demoraria apenas quatro a dez horas de processamento.

Com esses gargalos, os dados conhecidos no Brasil são apenas a ponta de um iceberg provavelmente muito maior de infectados, que podem transmitir o vírus mesmo sem apresentar sintomas. E desenham um retrato epidemiológico constantemente atrasado, já que a demora na testagem provoca um delay na notificação dos casos e impacta diretamente as estatísticas com as quais os Governos trabalham para conter a disseminação do coronavírus. A experiência internacional mostra que países que adotaram a testagem em massa na população, como a Coreia do Sul, conseguiram controlar melhor a epidemia. Após uma indicação de que os países realizassem testes em massa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Governo Federal afirmou, na semana passada, que não o país não tinha condições de realizar testes em massa. Mas nesta semana anunciou medidas no sentido de ampliar essa capacidade de testagem para uma parcela maior da população. (leia mais)

3 thoughts on “Com gargalo de testes para coronavírus, Brasil vê só a ponta do iceberg com seus 2.201 casos e 46 mortes

  • 25/03/2020, 12:45 em 12:45
    Permalink

    Importante acompanhar aumento número de mortes via Acesf.

    Resposta
  • 25/03/2020, 12:46 em 12:46
    Permalink

    Arnaldo? Insuficiência Respiratória vale nessa hora? Ou é Covid 19?

    Resposta
  • 25/03/2020, 13:21 em 13:21
    Permalink

    Aqueles que se mantêm bolsonaristas com certeza dirão que El País faz parte da mídia comunista e que, com esse artigo, pretende retirar do governo o Grande Bozo.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: