Comissionados nas prefeituras: Londrina X Maringá

Do blog do Angelo Rigon

Vejam aqui o quadro de Londrina. Comparem com Maringá, clicando aqui.
Observem que na Procuradoria de Londrina tem apenas 1, o procurador geral, e em Maringá 16, totalmente irregular. Londrina segue as normas do TCE-PR, já em Maringá, a lei é feita pelo dono da cidade, com vereadores, inclusive os de oposição, aceitando passivamente. Esperamos que, pelo menos, Ulisses e Humberto se movimentem, consultem o TCE e o MP, afinal é uma afronta à lei e a lei é para todos. Pelo menos tentem provar que estamos errados, ao fazermos esta denúncia.

PS – Nem precisa falar da discrepância dos números. Londrina 99, Maringá, cerca de 400, entre comissionados de fora e efetivos. Alguma coisa está errada, aqui ou lá. O que nos diz, Cláudio Osti? Poderia comentar, Pedriali?

*Posso opinar sim.

Na administração do ex-prefeito Homero Barbosa Neto ele manteve cerca de 50 cargos comissionados. Era uma meta de seu governo. O atual prefeito, Alexandre Kireeff, também evita inchar a máquina e segura ao máximo qualquer contratação. A contratação de comissionado só é liberada quando essencial. Aquelas acomodações de cargos para partidos aliados, amigos, amigos dos amigos, parentes, etc, que se vê em governos populistas e perdulários, pelo menos por enquanto, não têm sido mais vistas por aqui.

Um comentário em “Comissionados nas prefeituras: Londrina X Maringá

  • 08/07/2015, 13:02 em 13:02
    Permalink

    http://www.maringanews.com.br/noticiaUnica.php?codigo=10005

    Comissionados nas prefeituras: Osti opina

    Questionado numa postagem de Akino Maringá, sobre a diferença abissal no número de cargos comissionados nas prefeituras de Londrina e de Maringá, o jornalista Claudio Osti, opinou:

    – Na administração do ex-prefeito Homero Barbosa Neto ele manteve cerca de 50 cargos comissionados. Era uma meta de seu governo. O atual prefeito, Alexandre Kireeff, também evita inchar a máquina e segura ao máximo qualquer contratação. A contratação de comissionado só é liberada quando essencial. Aquelas acomodações de cargos para partidos aliados, amigos, amigos dos amigos, parentes, etc, que se vê em governos populistas e perdulários, pelo menos por enquanto, não têm sido mais vistas por aqui.

    Resposta
  • 08/07/2015, 15:12 em 15:12
    Permalink

    Não foi por acaso que Londrina se tornou a capital mundial do café, enquanto Maringá está, dia após dia, transformando se na capital mundial dos bananas, eleitores daqui votam tal qual seres programados pela oligarquia que se mantem a quase década e meia no poder, tentando influir vez ou outra até em eleições em Londrina, o que por si já é um absurdo, como ocorreu na eleição de 2004, quando secretários e inúmeros CCs invadiram Londrina, numa tentativa de consolidar terreno em todas metrópoles do norte e noroeste do estado.Verdadeiros ACMs das araucárias.

    Resposta
  • 08/07/2015, 18:14 em 18:14
    Permalink

    Barbosa so deixou 50 porque não gostava de dividir a pilhagem……

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: