Como é bom ser delator. Justiça perdoa seis réus

do G1

Justiça concedeu perdão judicial a seis réus que fizeram delação premiada e colaboraram com as investigações na Operação Publicano, que investigou desvio de recursos na Receita Estadual. Entre os beneficiados está Luiz Antônio de Souza, principal delator do esquema, e cinco pessoas da família dele. A condenação foi publicada na terça-feira (5).

A Publicano investiga um esquema de corrupção na Receita Estadual. Segundo as investigações, uma organização criminosa atuava no órgão cobrando propina de empresários em troca de benefícios fiscais. Mais de 300 pessoas foram denunciadas. Segundo as apurações, baseadas na delação de Souza, em 2014, parte do suborno teria sido repassado à campanha de Richa para governador.

Nesta sentença, apenas o auditor fiscal Milton Digiácomo foi condenado a nove anos de prisão por lavagem de dinheiro, ele está solto. Ele também deve pagar multa de mais de R$ 100 mil.

A Justiça também mandou confiscar a sala comercial, que ficou conhecida como ‘sala da propina’. De acordo com a sentença, a sala foi comprada com recursos oriundos da corrupção e era utilizada para guardar dinheiro de propina.

Esta ação apurou o caminho do dinheiro arrecadado com a cobrança de propina por um grupo de auditores e parentes de Souza, que foi demitido da Receita Estadual em 2016.

Ao longo das investigações, policiais e promotores conseguiram identificar fazendas, casas, apartamentos, salas comerciais e carros comprados com o dinheiro de propina.

O auditor Milton Digiácomo pode aguardar em liberdade o julgamento de recursos. Na sentença o juiz Juliano Nanúncio também determinou a demissão do auditor do órgão público.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) informou que vai avaliar se pedirá um aumento de pena do auditor condenado. Com relação aos investigados que tiveram perdão judicial, a promotoria disse que concordou com a decisão do juiz.

O que dizem os envolvidos

A defesa de Luiz Antônio de Souza e seus familiares informou que está satisfeita com a sentença e não tem nada a declarar.

Até a publicação desta reportagem, o advogado de Milton Digiácomo não havia sido localizado pelo G1 para comentar a condenação.

Apoio às investigações

A Secretaria Estadual da Fazenda (Sefa) informou que apoia as investigações do Ministério Público e tem todo o interesse na apuração de possíveis irregularidades cometidas por servidores da Receita Estadual.

A secretaria esclareceu que os auditores fiscais foram afastados dos cargos e respondem a processos administrativos. Dos dez processos abertos, seis foram encerrados e geraram três demissões. Outros quatro processos estão na fase de oitiva de testemunhas.

13 comentários em “Como é bom ser delator. Justiça perdoa seis réus

  • 06/06/2018, 16:10 em 16:10
    Permalink

    Como já comentei anteriormente tem que analisar a água que o MP está tomando. O tal de Luiz foi preso por pedofilia, era um dos, ou o principal articulador da maracutaia dos auditores . E sai ileso, repassou alguns bens para o estado e tá tudo bem? Com certeza o crime compensa. É só entregar os parceiros e zerou as penas. . Palmas para o MP.

    Resposta
  • 06/06/2018, 17:45 em 17:45
    Permalink

    Por falar em G1, coloca a matéria jabazão falando bem da gestão pública, do Cavazotti. E pare de proteger os society. Vc sabe que andou aprontando com um jornalista aí e a conta vai chegar. E não é ameaça não. É JUSTIÇA!!!

    Resposta
    • 07/06/2018, 10:29 em 10:29
      Permalink

      Quero ver a conta chegar – cadê o processo?

      Homero Barbosa Neto é jornalista e foi cassado oras bolas.

      Resposta
      • 07/06/2018, 15:13 em 15:13
        Permalink

        COMO VOU TE PROCESSAR RISOS, SENDO QUE NEM A CORAGEM DE COLOCAR O NOME TEM. OU SERIA UM FAKE DO DONO DO BLOG. VIAJA NÃO. EXISTEM VÁRIOS TIPOS DE JUSTIÇA E A DIVINA, DE DEUS, ESSA NAO FALHA….

        Resposta
        • 08/06/2018, 12:24 em 12:24
          Permalink

          Mais uma vítima do Edir Barbosa Macedo Neto.
          Vai pra fila do dízimo coitado.
          Compra emagrecedor sem registro na Anvisa do Barbosinha Neto.

          Resposta
  • 06/06/2018, 18:18 em 18:18
    Permalink

    A imprensa de Londrina já foi melhor. Hoje publica informação pels metade. Os cinco nomes absolvidos não são identificados. Essa molecada de hoje não investiga. Saudade do jornalismo investigativo. Até isso se foi.

    Resposta
  • 06/06/2018, 21:43 em 21:43
    Permalink

    Rapaz…a gente morre e não vê tudo . O cara que articula a maracutaia ,réu confesso,cata as menininha e sai como maior beneficiário. Chega a dar ânsia De vômito isso , parabéns aos dotores que proporcionou isso a esse sujeito .

    Resposta
  • 07/06/2018, 11:12 em 11:12
    Permalink

    Vai um coitado ser preso por abuso de criança .
    É preso e esculachado.
    Aqui o MP dirigido por MULHERES entrega o ouro e faz aliança com o vagabundo, pois é rico e tem onde ter advogado bem articulado e safo pago com dinheiro surrupiado.
    Vergonha pro MP.
    Ministério Público de Londrina é uma vergonha.

    Resposta
  • 07/06/2018, 11:25 em 11:25
    Permalink

    É a República de Curitiba fazendo escola…

    Resposta
  • 07/06/2018, 14:20 em 14:20
    Permalink

    Caro Risos, Barbosa foi cassado mas mas nao perdeu nenhum processo na justiça…. Vá se informar…

    Resposta
    • 08/06/2018, 12:26 em 12:26
      Permalink

      Perdeu sim, biroca do Barbosa.
      Biroca é o alter ego do Rogerinho ou do Pinguim?

      Resposta
  • 07/06/2018, 14:50 em 14:50
    Permalink

    É um fato a ser considerado nas opiniões sobre o desempenho do MP, provocada por uma pesquisa da Folha de Londrina.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: