Conselho Nacional do MP instaura reclamação disciplinar contra Dallagnol

do Correio Braziliense

O Corregedor do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Orlando Rochadel Moreira, decidiu instaurar uma reclamação disciplinar contra o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava-Jato no Paraná. 
A decisão é baseada em um pedido do PT, que cita conversas entre procuradores obtidas pelo site The Intercept. De acordo com o corregedor, deve ser investigado se Dallagnol tentou enriquecer com a realização de palestras sobre seu trabalho realizado no Ministério Público.

Além de Dallagnol, o corregedor abre reclamação contra o procurador Roberson Pozzobom, que também participa dos diálogos no aplicativo Telegram, que foram publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo. No despacho, Orlando determina a “notificação dos Membros do Ministério Público Federal integrantes da Força Tarefa Lava Jato, Deltan Martinazzo Dallagnol e Roberson Henrique Pozzobom, para manifestação, via sistema Elo, no prazo de 10 dias” e ainda “a expedição de ofício a Corregedoria-Geral do Ministério Público Federal para que informe, no prazo de 10 dias, os antecedentes disciplinares dos supracitados Membros
integrantes da Força Tarefa Lava Jato em Curitiba/PR”.

A decisão foi publicada pelo Correio durante um encontro de Deltan Dallagnol com a Procuradora-geral da República, Raquel Dodge, em Brasília, na tarde desta terça-feira (16/7).

3 comentários em “Conselho Nacional do MP instaura reclamação disciplinar contra Dallagnol

  • 16/07/2019, 19:32 em 19:32
    Permalink

    Piazão de prédio , nunca advogou… Se deslumbrou com a fama d a possibilidade de li ter muito …. Inspirou-se no palestrante 51 ?

    Resposta
  • 16/07/2019, 20:30 em 20:30
    Permalink

    Como o reverendo Dallagnol tem um monte de seguidores, ele poderia montar uma igreja e recolher o dízimo dos fieis. Ganhar dinheiro é com esse cara mesmo.

    Resposta
  • 16/07/2019, 20:32 em 20:32
    Permalink

    Mas a Justiça precisa ir atrás do sócio do Dallagnol, ou melhor, de seu chefe, que virou ministro do Bolsonaro.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: