Contrato da Sercomtel com empresa citada na Operação Luz Oculta será investigado

Do Angelo Rigon

A Operação Luz Oculta, que está rolando no Paraná, apura fraude em licitação de R$ 10 milhões para serviços de iluminação de LED em Foz do Iguaçu, os donos da empresa Energepar Empreendimentos Elétricos deverão ser investigados por outras licitações milionárias.

Em Foz, a Polícia Civil encontrou indícios de que houve manipulação para que a empresa ganhasse o certame, por conta da exigência de certificação do Inmetro, que só ela tinha (mas, depois, constatou-se que a documentação estava irregular). Também há suspeita de violação de direitos autorais (plágio) nos projetos apresentados.

De acordo com fontes do Ministério Público do Paraná, uma das linhas de investigação será a análise de todos os contratos da microempresa Energepar nos últimos 2 anos, acima de R$ 5 milhões.

Entre os contratos que devem ser investigados está o firmado entre a empresa e a Sercomtel Iluminação, de cerca de R$ 30 milhões. A Sercomtel é presidida pelo maringaense Luciano Kuhl.

O contrato da Sercomtel Iluminação será submetido à novo escrutínio e investigação do delegado Alan Flore, que dirige a especializada de combate à corrupção no Paraná.

Quando a operação foi realizada a Energepar divulgou nota repudiando as acusações e afirmando que o processo em Foz do Iguaçu teve lisura e legalidade.

4 thoughts on “Contrato da Sercomtel com empresa citada na Operação Luz Oculta será investigado

  • 28/05/2020, 13:25 em 13:25
    Permalink

    Falei isso em comentários anteriores. E o seu superior faz vista grossa. Eis o Sercomtelao. Ser promotor não é só chutar pé de chinelo. Aí o peixão.

    Resposta
  • 28/05/2020, 13:48 em 13:48
    Permalink

    Essa tal de Energepar sempre me deixou um tanto cabreiro. Ora ela aparece como sociedade limitada (Ltda.) ora no formato jurídico chamado Eireli. Todo mundo sabe que empresa Ltda. tem mais de um sócio que, em casos de calote, seus bens podem ser atingidos. No caso de empresa Eireli, há apenas o proprietário e seus bens pessoais não garantem dívidas da empresa. Já negociei com empresa Eireli, levei calote e fiquei chupando o dedo enquanto o dono continuava passeando no seu carrão. Sucesso aí em seu trabalho, procuradores.

    Resposta
    • 29/05/2020, 22:04 em 22:04
      Permalink

      E querem atingir o prefeito Marcelo Belinati. Esse povo invejoso da telefônica e o povo kirefista, que não fez nada de obra relevante em 4 anos, com prefeito que não cheirava e nem fedia, precisam trazer problemas de fora pra tentar conseguir alguma coisa. Ano eleitoral né? Querem usar a empresa pública municipal mais badalada e iluminada da cidade para tentar feri-lo. Povinhos!

      Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: