Copel também tem culpa no imbróglio da Sercomtel

A sócia Copel também é culpada pela crise na Sercomtel. Para quem não se lembra, em 1998 45% das ações da Sercomtel foram vendidas para a Copel – no valor de R$ 186 milhões (hoje quase 1 bilhão) – numa articulação entre o ex-prefeito Antônio Belinati e o então governador Jaime Lerner, cuja vice era Emilia Belinati, na época esposa de Antônio Belinati.

Pouco tempo depois o Ministério Público denunciou que parte do dinheiro da venda das ações da empresa foi usado em campanhas eleitorais e, em especial, na reeleição de Lerner ao governo.

Também antes disso, mas intensificado de lá para cá, a Sercomtel sempre foi usada para acomodar aliados políticos, pessoas sem a menor intimidade com o setor de comunicação.

O famoso “cabidaço”.

Sócia minoritária, mas com quase metade das ações, a Copel sempre teve direito a nomear diretorias importantes. E também abusou das indicações políticas, contribuindo bastante para o caos que a Sercomtel se encontra hoje.

A sócia minoritária nunca fiscalizou efetivamente a sócia majoritária.

A Copel nunca engoliu ter sido forçada a ser sócia da Sercomtel e isso ficou claro no decorrer dos anos. A Copel nunca quis, por exemplo, que a Sercomtel fosse sua parceira efetivamente. Um exemplo é que a Copel não usa a telefonia da Sercomtel em seu grupo. Pior, a Copel é concorrente da Sercomtel na venda de banda larga.

Somado a tudo isso, incompetência, desmandos, uso político, etc, tem a crise econômica que o país passa e, principalmente, a falta de competitividade da Sercomtel em relação às multinacionais da telefonia que oferecem serviços bem mais baratos.

Está sobrando só o pó.

4 comentários em “Copel também tem culpa no imbróglio da Sercomtel

  • 27/06/2017, 10:27 em 10:27
    Permalink

    Se a Copel for esperta, ela deixa a Sercomtel baixar as portas. Aí a Copel cobre os prejuízos que serão debitados na sua gorda conta bancária. O resto fica por conta do sócio majoritário: a prefeitura de Londrina. O Itaú, que nunca aparece por aqui mas tem sua parte nesse “latifúndio”, leva um belíssimo cano. KKKKK Mas o Itaú é muito rico e esse prejuízo não vai fazer nem cócegas nos polpudos lucros que apresenta em seus balanços. E nós, que estamos ameaçados de pagar o IPTU mais caro do mundo, vamos ter certeza de que nossos impostos não irão mais cobrir rombos de empresa eternamente deficitária.

    Resposta
    • 27/06/2017, 17:28 em 17:28
      Permalink

      Décio, quando o dinheiro da Sercomtel cobria orçamentos (folha de pagamento) deficitários da Prefeitura, tava bom, né???

      Resposta
      • 27/06/2017, 19:38 em 19:38
        Permalink

        Exatamente. Empresa é para isso, para dar lucro. Vivemos no capitalismo, meu filho. O que os acionistas fazem quando a empresa começa deixa de render dividendos? Vendem as ações antes que elas virem papel inútil quando a empresa ficar deficitária e ir ao buraco. A Sercomtel é uma S. A. e a sua permanência no mercado deve ser regida pelas leis desse mercado. Não fatura? Fecha. Não dá lucro? Fecha. Ou então passa para outros sócios enquanto é tempo…

        Resposta
  • 30/06/2017, 07:26 em 07:26
    Permalink

    O Ministério Público não vai se manifestar sobre a denúncia anônima enviado por funcionários em relação ao total descumprimento da nova Lei das Estatais?

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: