Da vida à História

“Não permitirei que o Ministério se divida em dois: os comprometidos com a austeridade e os comprometidos com os gastos. Em meu governo, todos, absolutamente todos, ministros e dirigentes de empresas públicas terão que estar igualmente comprometidos com a geração de recursos e com as parcimônias nas despesas. (…)
O governo não deve anunciar nada que não possa ser executado, nem enganar o povo com as promessas que não possam ser cumpridas.”

Trechos do discurso que o presidente Tancredo Neves faria na posse como presidente da República.
Não pôde concretizar as ideias.
Hoje, completam-se 35 anos de sua morte.

de O Sul

One thought on “Da vida à História

  • 21/04/2020, 14:40 em 14:40
    Permalink

    Essa afirmação não tem o menor sentido em épocas de pandemia e de guerras. Seria o mesmo que um pai, mesmo vendo o filho doente e sofrendo dores terríveis, falasse: “Não vou comprar remédio para te curar e aliviar sua dor porque o custo dele está acima do nosso orçamento”.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: