Deputado estadual do Paraná tinha mesada de Youssef

Alberto Youssef, mais propinas

Do blog de Aroldo Murá

O jornal O GLOBO, do Rio de Janeiro, na sua edição de quarta, 4, em matéria sobre a operação Lava Jato, depois de relatar sobre os ex-deputados federais que perderam foro privilegiado – e informar que os inquéritos sobre eles estão adiantados na PF, registra: “Outro inquérito diz respeito a um deputado estadual do Paraná que recebia mesada do doleiro Alberto Youssef.”

E mais diz O GLOBO:

“O dinheiro seria repassado por meio por meio de uma das empresas usadas pelo doleiro para lavar dinheiro, a GDF Investimentos”.

Uma fonte geralmente bem informada dos meios legislativos (leia-se Assembléia Legislativa do Paraná) chegou a arriscar ontem para a coluna: “Acho que se trata de um parlamentar de víeis populista, com raízes no Norte do Paraná, onde nasceu e cresceu Youssef e lá manteve seu feudo…”

É, como dizem os italianos, “si non è vero…”

Um comentário em “Deputado estadual do Paraná tinha mesada de Youssef

  • 05/03/2015, 22:51 em 22:51
    Permalink

    Por acaso seria algum aliado do governador tucano?

    Resposta
  • 07/03/2015, 22:52 em 22:52
    Permalink

    Meurer ficava com os 300 mil solitos ou dividia com os companheiros do PP. Tem gente em Maringa que esta com dor de barriga se o deputado abrir a caderneta.

    Resposta
  • 08/03/2015, 00:05 em 00:05
    Permalink

    Imaginaria que seria um homem que o Janene comprava apoios como DEPUTADO DO POVO.

    http://molinacuritiba.blogspot.com.br/2010/09/faleceu-jose-janene-o-homem-que-mandava.html

    Vamos mostrar como ele conseguiu:

    1988: A candidatura a prefeito de Antonio Belinati escorria de suas mãos no PDT. Não tinha dinheiro e precisava desesperadamente de montar palanques em Londrina, patrocinar vereadores e mais umas ‘cositas más’. Quem é o homem do cofre deste ex-prefeito que precisava derrotar o grupo de Wilson Moreira, que havia reformado a cidade e dando nova vida para Londrina?
    Ele, José Janene, um obscuro homem de negócios não tão lícitos e que fazia as famosas procurações para desconto de ICM das prefeituras que submetiam-se ao seu esquema de iluminação pública e os lucros de L10 e L11 (ou Lucro de 10 vezes o valor correto ou Lucro de 11 vezes o valor correto).Era a Eletrojan montada por José Janene depois que deixou de ser vendedor do poder público de seu irmão Faiçal Jannani com o “Grupo Iluminação F. Jannani”.Ganha a prefeitura e com isso o direito de ratear a administração com seus indicados. Começa o fim do mundo para Londrina.

    Nada acontece em Londrina sem que as mãos sujas de José Janene não se meta nas inúmeras enrascadas.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: