Eleições na OAB Londrina. Chapa A OAB Que Eu Quero registra candidatura

Os advogados: Leila Pedrasolli, Louriberto Gonçalves, Sonia Lachner, Mário Barbosa e Dayane Medeiros – divulgação

A eleição para a Subseção Londrina da Ordem dos Advogados do Brasil vai ter confronto. A chapa A OAB QUE EU QUERO, encabeçada pelo advogado criminalista Mário Barbosa tendo como vice a advogada Dayane Medeiros, registrou a candidatura.

Também participam da chapa os seguintes advogados: Sonia Regina Lachner (Secretária Geral), Leila Cristiane Pedrasolli Sanchez (Secretária-Geral Adjunta) e Louriberto Vieira Gonçalves (Tesoureiro).  A eleição para a nova diretoria da Ordem dos Advogados de Londrina acontece no dia 25 de novembro e será on-line.

A chapa A OAB QUE EU QUERO contempla a paridade de gênero (50% de advogadas) e a política de cotas raciais para negros (30%), conforme Regulamento Geral do Estatuto da Advocacia.

`QUEREMOS MUDANÇAS´

Diz o Dr. Mário Barbosa, pré-candidato à presidência: “Queremos mudanças, que devem começar pela retomada da representatividade da Subseção Londrina. É necessário encerrar um tempo marcado também pela arrogância dos dirigentes do atual grupo, cujos integrantes se revezam há décadas no comando do órgão de classe.  Precisamos novamente nos aproximar dos advogados e advogadas”.

O advogado afirma que a decisão de concorrer à eleição se deu ao visitar vários escritórios de advocacia nas 15 comarcadas contempladas pela Subseção Londrina.

“A inexistência de comunicação com os atuais dirigentes é a principal reclamação dos profissionais da advocacia. A ausência de ações mais contundentes, durante a pandemia, por exemplo, levou alguns advogados, jovens e veteranos, a buscarem outras formas de sobrevivência”, narra o Dr. Mário Barbosa

Por sua vez, a Dra. Dayane Medeiros, pré-candidata à vice-presidência pela chapa A OAB QUE EU QUERO é enfática: “Nossa gestão será exclusivamente marcada pela atuação efetiva em defesa das causas da nossa classe. Temos muito o que fazer! E estamos dispostos a reverter, principalmente, a politicagem partidária que há tempos se impõe na Subseção Londrina”.

Deixe uma resposta