Emilio Odebrecht entrega tudo. Até reclamava com Lula da voracidade dos petistas

do Estadão

O empresário Emílio Odebrecht, presidente do Conselho de Administração da Odebrecht, disse em relato por escrito à Procuradoria-Geral da República (PGR), no âmbito de sua colaboração na Lava Jato, que discutia com o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva doações para campanhas do PT. O “apoio” ao petista e seus aliados, segundo o empreiteiro, remonta à época em que ele nem sequer era candidato e se estendeu ao período em que ele comandou o País.

“Lembro de, em uma dessas ocasiões, ter disso ao então presidente que o pessoal dele estava com a goela muito aberta. Estavam passando de jacaré para crocodilo’”, contou Emílio.

O relato do empresário faz parte dos documentos que serviram de base para os pedidos de abertura de inquérito remetidos pela PGR ao Supremo Tribunal Federal (STF).

O empresário disse que pedidos de ajuda eram sempre feitos por Lula diretamente a ele, mas que os dois sempre designavam um representante de cada lado para negociar valores e tratar de detalhes.

No caso do PT, inicialmente o interlocutor era o ex-ministro Antonio Palocci (Casa Civil e Fazenda), atualmente preso em Curitiba. Do lado da Odebrecht, os designados foram Pedro Novis e, a partir de 2009, Marcelo Odebrecht, filho de Emílio, que assumiu o comando da holding da empreiteira.

Em algumas ocasiões, segundo Emílio, Marcelo pediu ao pai que conversasse com Lula para “informar valores e esclarecer dúvidas”. “Lembro de, algumas vezes, ter dito a ele algo como: ‘Presidente, seu pessoal quer receber o máximo possível, e meu pessoal quer pagar o mínimo necessário. Já instruí meu pessoal para chegar ao melhor acordo, e peço também ao senhor para conversar com seu pessoal para aliviar a pressão’”, afirmou Emílio.

3 comentários em “Emilio Odebrecht entrega tudo. Até reclamava com Lula da voracidade dos petistas

  • 12/04/2017, 20:52 em 20:52
    Permalink

    Até prova em contrário, pra mim o chefão da Odebrecht cita o Lula porque, se não citasse o Lula, sua delação não seria aprovada. E se algum petista pediu doação à Odebrecht, naquele momento não era pecado (virou pecado na república do Moro). Se a Odebrecht alimentava a campanha dos tucanos, inclusive com doação a FHC (a Odebrecht deu dinheiro para o Instituto FHC, por que não poderia dar ao Instituto Lula; a Odebrecht deu dinheiro para a campanha de FHC, por que não poderia dar para campanhas petistas?), nada mais justo fazer doações aos petistas. Aliás, blogueiro, FHC também foi delatado. O Lula você já nos cansou de avisar. Quá! Quá! Quá!

    Resposta
  • 12/04/2017, 21:56 em 21:56
    Permalink

    Esse tiozinho tem cara de 171. Só acredito na historinha que ele combinou com seus advogados e outras pessoas quando apresentar provas. Sem provas é conversa fiada. Mas tenho comigo que ele tem uma profunda mágoa do PT, do Lula e da Dilma. Ele queria o pedágio em Santa Catarina cobrando preço do pedágio de São Paulo, o mais caro do país. Aí o Lula fez uma licitação internacional e os espanhóis ganharam a parada, cobrando R$ 1,50 a cada 100 quilômetros. A Odebrecht e outras empreiteiras piraram.

    Resposta
  • 12/04/2017, 22:43 em 22:43
    Permalink

    Se for realmente isso o que foi dito pelo dono da Odebrecht, não existe aí uma mísera prova contra o Lula. Pode servir para o dono da Odebrecht escrever um livro de memórias. Nas mãos de um juiz imparcial, esse trecho será atirado à lixeira.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: