Enquanto Londrina não se explica, cidades da região aumentam restrições

Pelo menos por enquanto Londrina ainda vai seguir apenas as medidas propostas pelo governo do Paraná, que diga-se, não parecem estar surtindo muito efeito.

E quem duvida é só andar pelas ruas das cidades do Paraná. Pouquissimas pessoas estão realmente respeitando o “fique em casa”.

Mas muitas cidades vizinhas de Londrina os prefeitos resolveram, enfim, agir. Alvorada do Sul, Prado Ferreira, Sertanópolis, Lupionópolis, Bela Vista do Paraíso, Primeiro de Maio e Assaí decidiram aumentar as restrições. Conforme publicou a Folha de Londrina, nestas cidades só será permitida a saída de casa para aquisição de medicamentos, atendimento de socorro médico para pessoas ou animais, embarque e desembarque em transporte rodoviário ou aéreo e atendimento de urgências ou necessidades inadiáveis próprias ou de terceiros. A prática de esportes, assim como a venda e consumo de bebidas alcoólicas, também estão proibidas.

Com isso serão proibidas todas as atividades comerciais, de prestação de serviços – inclusive bancários – e industriais. As exceções são os serviços de segurança, transporte coletivo e individual. Supermercados, padarias, açougues, restaurantes e lanchonetes poderão fazer serviço de delivery e retirada no local, mas com as portas fechadas e com apenas 30% dos funcionários. Postos de combustíveis também serão permitidos.

Serão mantidos somente serviços públicos essenciais, como saúde, segurança,  justiça de urgência, fornecimento e tratamento de água, energia elétrica,  saneamento básico, coleta de lixo orgânico, telecomunicações, assistência social, serviços funerários, cemitérios, de segurança alimentar.

Em Bela Vista do Paraíso, a decisão pelo fechamento já havia sido tomada na segunda-feira (15). O prefeito Fabrício Pastore, o Jacaré (DEM), decidiu tomar a atitude sem avisar para evitar a corrida ao comércio. “Ando pelas ruas, vou ao hospital e senti muito de perto a gravidade da situação. Num município pequeno conhecemos as pessoas que morreram. Fiquei muito angustiado e decidi fazer o que é o certo. Fui apoiado pela equipe técnica e vejo positivamente a decisão das cidades vizinhas, mas esperava que Londrina tivesse liderado esse movimento”, afirmou Pastore.  (leia mais)

One thought on “Enquanto Londrina não se explica, cidades da região aumentam restrições

  • 18/03/2021, 11:13 em 11:13
    Permalink

    O problema é que, em Londrina, a sede do governo municipal na administração da pandemia fica no Palácio do Comércio.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: