Entre 35 países, Brasil é o que menos prestigia seus professores

do Estadão

Percepção de falta de respeito dos alunos, salários insuficientes e uma carreira pouco segura para os jovens. É assim que a maioria da população brasileira enxerga a profissão docente e coloca o País como o que dá menos prestígio aos professores. Esse cenário foi revelado pelo Índice Global de Status de Professores de 2018, divulgado na noite desta quarta-feira, 7, pela Varkey Foundation, organização voltada para a educação. O levantamento avalia como a população de 35 países enxerga a profissão. 

Enquanto há uma tendência global de crescimento no prestígio dado aos professores, o Brasil regrediu nos últimos cinco anos. Em 2013, quando o estudo foi feita pela primeira vez e avaliou 21 nações, o País aparecia na penúltima colocação. Na edição deste ano, com a piora na percepção sobre o respeito dos alunos e com menos pais dispostos a incentivar seus filhos a seguir a profissão, o índice nacional piorou e colocou o País como lanterna do ranking. (leia mais)

 

 

 

3 comentários em “Entre 35 países, Brasil é o que menos prestigia seus professores

  • 08/11/2018, 12:57 em 12:57
    Permalink

    E com o anti-petismo em fogo no Brasil, certamente as muitas gravações de professores militantes doutrinando os alunos do ensino médio e superior não ajudou a melhorar isso.

    Resposta
    • 09/11/2018, 13:42 em 13:42
      Permalink

      E os professores militantes de direita que também tentam doutrinar (aliás, ninguém doutrina ninguém nas escolas porque adolescentes e jovens adoram contestar as autoridades e, na sala de aula, o professor representa a autoridade) seus alunos também ajudaram no desprestígio dos professores brasileiros?

      Resposta
  • 09/11/2018, 09:57 em 09:57
    Permalink

    Mas a partir de janeiro os professores voltarão a ser prestigiados. Basta eles voltarem ao tempo da ditadura. Professor entra na sala, todo mundo se levanta, reza-se o Pai Nosso. Aliás, antes de entrar na sala de aula, todos os professores e seus alunos ficam perfilados no pátio, canta-se o Hino Nacional, gasta-se um bom tempo cultivando o (falso) patriotismo. Assuntos polêmicos são podados pelos professores. Aliás, professores que aceitam discutir temas proibidos pelo novo presidente e seus cães de aluguel municipais deverão ser afastados das funções. Quer dizer, tudo como no tempo da ditadura quando professores, pra dar aula, precisavam de autorização da polícia política e uma boa indicação do partido do governo (Arena) na cidade. Diretores então? Só apoiadores do governo. A diferença é que agora os alunos serão vigiados pelos alunos através de celulares. Em vez de assistir aulas, os alunos deverão se concentrar em filmar professores. E ainda tem babaca que diz que os governos petistas eram ditatoriais…

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: