Ex-prefeito de Foz é condenado na Operação Pecúlio

do Contraponto

A Justiça Federal em Foz do Iguaçu proferiu na tarde dessa terça-feira (4) a primeira sentença da Operação Pecúlio contra o ex-prefeito da cidade Reni Pereira. A juíza substituta Flávia Ora de Mendonça condenou Reni Pereira em três crimes, que somam sete anos e quatro meses de prisão por corrupção passiva e usurpação da ocupação pública, além de mais quatro anos por fraude em licitação. As penas devem ser cumpridas em regime semi-aberta

O ex-prefeito e ex-deputado estadual também recebeu pena de pagamento de multa no valor de R$ 374 mil pelos dois primeiros crimes, além de R$ 695 mil pelo terceiro.

A denúncia contra Reni Pereira no âmbito da Operação Pecúlio foi proposta pelo Ministério Público Federal  (MPF) em agosto de 2016. Desde então ele tem se defendido no MPF e na Justiça Federal.

A decisão dessa terça-feira decorrer da Operação Pecúlio, porém Reni Pereira ainda responde outros processos em decorrência da Operação Nipoti. De acordo com o Ministério Público, Reni teria chefiado um esquema de corrupção envolvendo a prefeitura de Foz do Iguaçu e a Câmara Municipal.

A defesa do ex-prefeito informa que  ele já foi absolvido de 80% das denúncias e que irá recorrer da decisão proferida nessa terça-feira..

 

Deixe uma resposta