Ex-prefeito de Londrina, Nedson Micheleti é alvo de ação criminal

Claudia Lima/CBN Londrina

O promotor de defesa do patrimônio público, Ricardo Benvenho entrou com uma ação criminal contra nove pessoas, entre elas Jack Dias, então secretário municipal de gestão pública e o ex-prefeito Nedson Micheleti. Ele explica que empresas, que faziam parte de um cartel que já atuava em São Paulo cooptaram os gestores públicos para facilitar a assinatura de contratos de fornecimento de merenda escolar na rede municipal de Londrina.

O promotor destaca que a investigação das empresas começou pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), por meio da operação “A Máfia da Merenda Escolar”. Elas agiam da mesma forma em várias cidades, entre 2006 e 2009. Nedson Micheleti e Jacks Dias podem responder pelos crimes de organização criminosa, corrupção passiva, peculato e desvio de dinheiro público.

Segundo a investigação, tanto Nedson Micheleti, quanto Jacks Dias recebiam uma “mesada” das empresas. O valor variava de 5% a 8% sobre o valor do contrato.

De acordo com o Ministério Público, para entrar no esquema, as empresas ofereceram dinheiro para campanha eleitoral de 2006. O ex-secretário, inclusive, teria recebido uma quantia de R$ 250 mil.

Ainda de acordo com o promotor Ricardo Benvenhu, para manter uma aparência de “legalidade” no processo e justificar a terceirização do serviço no município, as empresas pagaram uma consultoria.

Até o fechamento desta edição, a reportagem não conseguiu contato com os advogados dos acusados.

Deixe uma resposta