Exumações à granel

E a possível exumação do corpo do ex-deputado José Janene, fez o jornalista José Roberto Martins (Zero) lembrar de um outro episódio ocorrido em setembro de 1998. No dia sete daquele mês morreu Osvaldo Magalhães, secretário de esportes do governo Jaime Lerner, num acidente na serra de São Luiz do Purunã.

Anos depois, no governo Requião, surgiu a história de que Osvaldo não havia morrido, mas simulado a morte, por causa de supostas falcatruas na Secretaria. A pedido da Comissão Parlamentar de Inquérito da Assembleia Legislativa do Paraná, que investigava a bandalheira ocorrida no Banestado, e com o então governador Requião botando pilha, o corpo foi exumado e… era do cara, mesmo.

Na época quem comandava a 2.ª Vara Criminal da Justiça Federal em Curitiba, era Sergio Moro, em cuja mesa chegou o resultado da exumação.

 

Deixe uma resposta