Fazer política produtiva pra quê se a moda é só xingar

Quando vereador, o hoje deputado federal Filipe Barros (PSL) arrumou um enguiço danado ao xingar trabalhadores durante a greve geral ocorrida dois anos atrás.

Agora como deputado federal, parece que vai manter a indelicada postura agressiva, e, obviamente, está conquistando novos inimigos. Dia 7 houve uma manifestação de um grupo de pessoas em Londrina sobre o STF e a ditadura militar. 

Pois bem, Barros pegou o microfone e desandou a xingar o reitor da Universidade Estadual de Londrina por causa de um episódio acontecido dias antes quando estudantes protestaram contra um video sobre a ditadura que estava sendo apresentado na UEL. Chamou o reitor de “inapto, incompetente, irresponsável, petista sem-vergonha”, etc, etc, que comanda uma instituição dominada por alunos maconheiros.

A reação veio do corpo docente, em especial do curso de Direito, que enviou esta nota a Imprensa.

A Universidade Estadual de Londrina, como local de exercício crítico sobre a realidade e debate de ideias, está incluída em um contexto mais amplo de polarização de posicionamentos políticos que atingem o cenário brasileiro e também mundial. Neste momento histórico temos vivenciado uma intensificação dos debates sobre temas relacionados à pauta política, econômica, de costumes, entre outras.
Reiteramos nosso entendimento que o espaço da Universidade deve ser plural e aberto à livre exposição de todas as obras e ideias presentes na comunidade e compatíveis com os princípios de nossa Constituição Federal.
Em tal contexto, em 07 de abril de 2019, em um ato público, ofensas pessoais foram dirigidas ao professor Doutor Sérgio Carlos de Carvalho, Reitor desta Universidade.
Recordamos que a Universidade Estadual de Londrina é instituição pública que tem por objetivo formar pessoas, capacitando-as para atuarem nas mais diversas áreas do conhecimento, sob os princípios de respeito à dignidade da pessoa humana, ao Estado Democrático de Direito e às leis.
Em nossa atividade de ensino, fomentamos a diversidade de ideias e opiniões e professamos que o diálogo é condição imprescindível para a existência de ensino com qualidade.
À vista dos princípios e regras que organizam e regulam a existência de sociedade livre, justa e fraterna, a Universidade Estadual de Londrina tem se destacado como uma instituição que prima pelo debate democrático e pelos serviços prestados à população.
Desta sorte, nós, professores do curso de Direito da UEL, por defendermos o respeito e o decoro que devem permear o trato da coisa pública, emitimos a presente nota de DESAGRAVO em favor da atuação do professor doutor Sérgio Carlos de Carvalho, Magnífico Reitor da UEL, que vem agindo dentro da legalidade e presteza próprias à grande e difícil tarefa a qual está incumbido e lamentamos as ofensas contra si dirigidas.
Por fim, destacamos nosso empenho na eliminação de todas as formas de preconceitos, desinformação ou desrespeito, os quais vêm com frequência, sendo utilizados em face do ensino público.
1.Antônio Carlos Lovato
2. Erika Dmitruk
3.Giovanne Schiavon
4.Luiz Alberto P. Ribeiro
5.Luiz Fernando Belinetti
6. Lourival J. Oliveira
7. Miguel Belinati Picirilo
8. Miguel Etinger
9. Renan
10. Nélia E. M. Batisti
11. Patrícia Ayub
12. Rita Tarifa
13. Silvia Tacla
14. Sérgio Alves Gomes
15. Daniela Paiano
16. Márcia Teshima
17. Ana Cláudia Amaral
18. Clodomiro Bannwart
19. Roberto W. Marquesi
20. César Bessa
21. Renata Cristina de Oliveira
22. Renato Lima Barbosa
23. Reginaldo Melhado
24. Juliana Nakayama
25. Ivan Martins Tristão
26. Tânia Lobo Muniz
27. Claudia Tagata
28. Ana Claudia Duarte Pinheiro
29. Douglas Bonaldi Maranhão
30. Francisco Emilio Baleoti.
30. Marcio Zerniere
31. Fábio Martins.
32. Aurora Tomazini de Carvalho
33.Aline Neves
34. Maria Antônia
35.Taís Aranda
36. Ivana Nobre Bertolazo
37.João Luiz Martins Esteves
38. Leonir Batisti
39. Eduardo L. Figueredo
40.Luciana Neves
41. Carlos Milanez
42. Marcos de Queiroz Ramalho
43. Mirelle Neme
Professores do curso de direito da Universidade Estadual de Londrina

Um comentário em “Fazer política produtiva pra quê se a moda é só xingar

  • 12/04/2019, 16:07 em 16:07
    Permalink

    O lobotomizado pelo filósofo, digo, pelo astrólogo Olavo de Carvalho obedece caninamente a apenas uma ordem de seu guru: xingar, xingar, xingar. O título que ostenta é o de deputado federal mas demonstra uma única vocação: a de coronel capiau. Não é à toa que votou a favor do fim da transparência na administração pública. Se fodeu. Até o Boca Aberta votou pela derrubada do decreto bolsonariano que acabava com a transparência no governo.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: