Fux exonera secretário da Corte que pediu reserva de vacinas contra a covid-19

do Migalhas

Nesta segunda-feira, 28, o presidente do STF, Luiz Fux, determinou a exoneração do secretário de serviços integrados de saúde da Corte, Marco Polo Dias Freitas. As informações são do jornalista Ancelmo Gois.

O ministro diz que, sem o seu conhecimento, o secretário solicitou à Fiocruz a reserva de sete mil vacinas contra a covid-19, furando a fila de prioridades da vacinação.

(Imagem: Fellipe Sampaio/STF)

(Imagem: Fellipe Sampaio/STF)

 

Relembre

O Supremo pediu à Fiocruz, em ofício enviado no dia 30/11, a reserva de sete mil doses de vacina para que elas sejam destinadas à imunização de ministros e servidores da Corte e do CNJ.

No ofício da Corte, explica-se que “tal ação tem dois objetivos principais. O primeiro é a imunização do maior número possível de trabalhadores de ambas as casas, que desempenham papel fundamental no país e têm entre suas autoridades e colaboradores uma parcela considerável de pessoas classificadas em grupos de risco”.

Já o segundo, conforme trecho do documento, é de que “a realização da campanha por este Tribunal é uma forma de contribuir com o país nesse momento tão crítico da nossa história, pois ajudará a acelerar o processo de imunização da população e permitirá a destinação de equipamentos públicos de saúde para outras pessoas”.

 

PUBLICIDADE

4 thoughts on “Fux exonera secretário da Corte que pediu reserva de vacinas contra a covid-19

  • 28/12/2020, 14:03 em 14:03
    Permalink

    E não foi esse mesmo Fux que, dias atrás, defendeu o pedido feito pelo STF de reserva privilegiada de sete mil doses de vacinas contra o coronavírus? É com esse senso de justiça que Fux se enquadra no perfeito defensor da lava jato do Moro…

    Resposta
  • 28/12/2020, 19:18 em 19:18
    Permalink

    O que mais chama a atenção é que o STF pediu 7 mil doses, se são duas doses por servidor, então quer dizer que o STF tem 3 mil funcionários. 3 mil??? 3 mil funcionários para atender só 11 ministros??

    Resposta
    • 29/12/2020, 10:44 em 10:44
      Permalink

      Três mil não, três mil e quinhentos!

      Resposta
  • 29/12/2020, 15:56 em 15:56
    Permalink

    O ministro queridinho da Lava Jato no STF (In Fux we trust!) puniu o mais fraco. Como sempre, para o chefão, a culpa é do mordomo.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: