Greve dos caminhoneiros, cheiro e sabor de movimento político

Em vários lugares do Brasil centenas de caminhoneiros deram início a bloqueios de estradas.  No Paraná, há seis pontos alvo de paralisações. Em Londrina, a paralisação foi na BR-369 que foi parcialmente interrompido, mas depois liberado.

A ação não tem o apoio de todos os caminhoneiros. O alvo da mobilização é  presidente Dilma Rousseff. Os líderes da bagaça exigem a renúncia ou o impeachment da presidente.

E é aí que está a bronca de diversas associações da categoria. Elas entendem que o fechamento das estradas seria justo se fosse para cobrar as promessas da presidente quando encerrada a última paralisação. A maioria das promessas foram engavetadas.

E, no caso do Paraná, aconteceu coisa pior. Um dos poucos avanços conseguidos pelos caminhoneiros foi não precisar pagar pedágio total quando um dos eixos não estivesse tocando na pista. Aqui, o governador Beto Richa, virou as costas para a categoria e decretou que no Estado, os caminhoneiros pagarão por todos os eixos.

As pedagieiras agradecem e torcem para que Richa fique mais duzentos anos no Palácio Iguaçu.

Um comentário em “Greve dos caminhoneiros, cheiro e sabor de movimento político

  • 09/11/2015, 21:01 em 21:01
    Permalink

    Esse movimento não é greve de caminhoneiros, é movimento de patrão (em conluio com os golpistas da oposição), portanto é locaute. A prova disso é que no Paraná os golpistas acham até bonito as tarifas do pedágio que o tucano Beto Richa quer prorrogar por mais 30 anos. No Paraná, os únicos que têm coragem de enfrentar o pedágio do Beto é o MST. Então, viva o MST!!!

    Resposta
  • 11/11/2015, 02:25 em 02:25
    Permalink

    Greve de julho autorizada pelo sindicato: tema falado a todo instante nos telejornais paranaenses e com uma farta fatia do JN.

    Greve atual sem a autorização do sindicato: mídia finge que não existe, MAVs metendo o pau no movimento e governo querendo baixar MP pra multar os adeptos em 5000 reais diários e autorizando a polícia a meter bala de borracha e chamar guincho pra recolher os caminhões – guincho esse que seria pago pelo dono do caminhão.

    Isso aí cheira mal.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: