João Arruda racha família Requião

Grandes amigos, hoje um tanto estremecidos

do Fabio Campana

Em entrevista ao npdiario.com, o deputado João Arruda (PMDB) expôs o atual racha na família do senador Roberto Requião (PMDB). Arruda é sobrinho de Requião, mas vai disputar o comando do diretório do partido em Curitiba contra o indicado pelo senador. “Eu me chamo João Arruda! Política é coisa séria. Na última eleição não pedi nem gravação de apoio para o Requião”, afirmou referindo-se ao seu tio.

Também não sobra qualquer carinho ou condescendência ao primo, deputado Requião Filho, primogênito do senador. “Requião Filho é deputado estadual, não tem nada a ver comigo ou com meu mandato. Nem dobro com ele.Não dobro em nenhum município e os que o apoiaram na eleição passada, não o apoiam mais”, atacou.
João Arruda articula o nome do ex-presidente da Sanepar, Hudson Calefe, para disputar no próximo dia 5 (sábado) o comando do diretório peemedebista curitibano contra o grupo de Requião. “Não sou dissidente e nem candidato na eleição do diretório em Curitiba. Apoio um candidato que está filiado no PMDB há 32 anos”, disse.
O deputado também não sabe se fica no PMDB. “O futuro a deus pertence. Se sair do PMDB, o PMDB não sairá de mim. Sou contra esse negócio de ficar mudando de partido por conta de picuinhas. Se não estou satisfeito, disputo internamente. Não dá para baixar a cabeça e aceitar tudo. Roupa suja, a gente lava em casa, se não, vira plantação de nota de quem não tem argumentos e coragem para fazer o debate do ambiente adequado”, disse João Arruda.

Um comentário em “João Arruda racha família Requião

  • 29/07/2017, 09:51 em 09:51
    Permalink

    É o velho Fábio Campana, que todos que militam na política desta capitania hereditária conhece bem, dando aquela ajudinha ao deputado João Arruda e seu candidato tucano pra comandar o diretório do PMDB de Curitiba. Em vez de ficar na lábia do Fábio Campana, o leitor pode dar uma passeadinha pelo Google e entenderá as motivações reais do sobrinho do Requião, sua relação com a operação Carne Fraca e o motivo principal que o fez mudar de posição na sessão que afastou a presidente Dilma, de eleitor contra o impeachment e votar a favor da eleição de Temer para presidente.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: