Londrina Sorri para o Choro. Participe. O Choro de Londrina Agradece.

“Londrina Sorri para o Choro”, conta a história de mais de 50 anos do Clube do Choro de Londrina (um dos mais antigos do país), a partir do depoimento de chorões veteranos, aspirantes e entusiastas. O projeto feito coletivamente ainda está em produção e busca agora financiamento para a sua finalização.

Qualquer pessoa pode contribuir. ACESSE AQUI e participe da campanha.

O surgimento do Choro em Londrina se funde à própria história da cidade. Em meados da década de 50 vem para Londrina Frederico Belinato, representante comercial, poliglota, paulistano de origem e “chorão” nas horas vagas. Tocava (como é comum no Choro) vários instrumentos: bandolim, violão tenor e cavaquinho.

Com o passar dos anos Belinato e outros músicos de Choro (inclusive um cantor) passaram a compor o regional que se apresentaria em mais de dez anos, todos os sábados a noite, na então TV Coroados fazendo a alegria da cidade com hábitos ainda bem provincianos.

Como é natural em qualquer grupo musical que se perpetua no tempo, muitos músicos saíram, mudavam de cidade, e outros novos entravam, especialmente cidadãos de outros estados como Minas Gerais e interior de São Paulo. Saiu Peixoto no violão seis cordas e entrou Roberto Guerra Neto, comerciante de profissão e violonista. Entrou Valmor Silva, marceneiro e cavaquinista solo. Por volta da década de 70 entra Alberto Barroso Neto, professor de matemática, cavaquinista e bandolinista. Isso somente para citar alguns chorões que se encontram vivos e residentes na cidade.

Na década de 70 o grupo se organizou melhor contando com ensaios semanais no Edifício Júlio Fugantti, fundindo o nome de Clube do Choro de Londrina e recebendo na cidade o então maior festival de Choro do país: 1º Encontro Nacional do Choro contou com os mais célebres chorões do Brasil, entre eles Altamiro Carrilho, grupo Época de Ouro, Zé da Velha e Silvério Pontes, grupo Chapéu de Palha, Ademilde Fonseca, entre outros.

O Clube do Choro de Londrina realizou apresentações em muitos estados brasileiros, ao vivo nas rádios Atalaia e Londrina, show no Paraguai e hoje ainda se apresenta constantemente na rádio UEL, RPC TV, em bares, restaurantes, teatros e casas de show. A cada ano o grupo agrega mais entusiastas ao gênero e promove ações que fomentam essa música tão respeitada, promovendo conjuntamente o prestígio de Londrina ao cenário músico-nacional.

Deixe uma resposta